segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

A noite dos espíritos

Dizia-me uma mulher em Setúbal, põe uma velinha à janela de Domingo para Segunda. É quando eles andam à solta.
Expliquei-lhe que andam em qualquer dia e não escolhem contextos. Pois não estou para limpar cera seca. Deu-me um parecer positivo.
Mas, nestas coisas nunca fiando...
Nas crenças populares.

7 comentários:

Ana Camarra disse...

Zorze

Na música não alinhamos, definitivamente!
Os espiritos, façam favor não me chateiem...

Beijos

Camolas disse...

- Um beijo meu à serpente.
Mantenho a vela sempre acesa , aguardando a radiosa "angela" que tornará a desnecessária.

kadafi disse...

que elas existem, existem...!!

poesianopopular disse...

Zorze
Toda a vida conheci bruxas feias e más,mas tambem conheci algumas muito geitosinhas e gostosinhas.
...E por aquí me fico!
abraço amigo

Pata Negra disse...

Gostei!
Um abraço em nome do meu anjo da Guarda (a minha companheira é de lá?

casadegentedoida disse...

Amigo Zorze, usando as palavras do kadafi: que elas existem, existem...!
De todos os tamanhos e feitios.
Fica Bem.

Soontir Fel disse...

Bem, estou a ver que só eu gosto de Rammstein e quejandos...
Quanto à ideia da velinha, parece-me bem, vou pô-la na janela do noso PM, mas do lado de fora...
Pode ser que ele pare de nos visitar...