segunda-feira, 24 de maio de 2010

Megalodonte

O Megalodonte ou Megalodon (Carcharodon megalodon), cujo nome significa "dente enorme", foi o maior tubarão que existiu. Presume-se que tenha vivido há aproximadamente 20 milhões de anos, durante o período do Mioceno e tenha cirandado pelo o Oceano Atlântico. Considera-se que o actual Grande Tubarão Branco (Carcharodon carcharias ) seja o seu descendente natural.

Estima-se pelos registos fósseis que existem hoje, que o megalodonte seria três vezes maior que o actual gigante branco. Mediria entre 20 a 30 metros de comprimento e pesaria 4 a 5 toneladas, os seus dentes mediriam em média 16 centímetros de comprimento e o diâmetro da abertura da boca seria de 30 metros, que exerceriam uma força de 8.000 quilos de trucidamento.
Sem dúvida, o predador dos predadores. O inferno das profundezas.
Dado ao seu tamanho e a quantidade abissal de comida que um animal desta envergadura necessitava para sobreviver, tenha marcado o seu ciclo de vida e daí a sua extinção. Apesar de subsistirem ainda nos dias de hoje mitos e lendas que porventura ainda existam comunidades deste espécimen, o que se configura um pouco irreal, à brutalidade de recursos alimentícios que um só espécime necessitava para viver.
Existem histórias de pescadores baleeiros, que encontraram dentes desta envergadura, incrustados em baleias.
Sem por outro lado, não esquecer que o homem, ainda desconhece 70% da vida marítima.

"Em 1995, foi feita proposta para mover a espécie para um novo género, Carcharocles. Esta questão ainda não está de todo resolvida. Muitos paleontólogos inclina-se para o nome de Carcharocles, enquanto que outros (sobretudo especialistas em biologia marinha) mantêm a conexão com o tubarão-branco e incluem ambos os animais no género Carcharodon. Os defensores de Carcharocles opinam que o ancestral mais provável do megalodonte foi a espécie Otodus obliquus, do Eoceno, enquanto o tubarão-branco descenderia da espécie Isurus hastalis. Existe a teoria de que os megalodontes adultos se alimentavam de baleias e que se extinguiram quando os mares polares se tornaram demasiado frios para a sobrevivência dos tubarões, permitindo que as baleias pudessem estar a salvo deles durante o verão."
fonte: wikipédia

5 comentários:

Diogo disse...

Bom, um homem ser atacado por um Megalodonte ou por um tubarão branco, o resultado é exactamente o mesmo.

Red Eagle disse...

No parlamento temos tubarões ao nível do megalodonte.

Saudações Chaladas

A vida na pré-história disse...

Não, não será o mesmo resultado.

O Megalodon enguliria o homem e o grande branco apenas morderia e arrancaria grandes pedaços de carne, ao contrário do Megalodon, que nem precisaria morder o homem, apenas engolir...

Anónimo disse...

e então esse é o maior peixe do mundo?parece meio assustador dissem que isso e uma lenda que o lugar mais fundo do mundo criou!e dissem que ele vive la no oceano atlÂntico mas que nome Megalodonte

Anónimo disse...

Este estraordinário animal existiu pelo menos 10 vezes mais do que o homem no planeta e em tempos onde o oceano propiciava à ele a sua existência.O nível de óxigênio na terra ainda era maior do que o de hoje e os níveis oceânicos eram bem mais elevados, com uma temperatura também mais quente.Para se ter uma idéia muitas montanhas das que vemos hoje próximas a costa simplesmente naquela época eram submersas pela água do mar.Diante deste cenário o ecossistema marinho era extremamente complexo e abundande, sendo que milhares de espécies já não existem mais.Dentre elas existiram as principais fontes de alimento do megalodonte,grande variedade de baleias, vacas do mar, tartarugas gigantes e até animais terrestres que com certeza cruzavam as costas marítimas por algum motivo, seja por migração, busca por alimentos, etc...
Enfim desde que a vida existe no planeta, a natureza tem o papel de moldá-la de acordo com o conveniente da época.E à 1,6 milhões de anos atraz,o fim de um ecossistema marinho rico, ao qual o megalodonte estava no topo da cadeia alimentar, era eminente.Isso devido ao fato das mudanças ambientais terem sido radicais fechando na história o período miocenico.