quinta-feira, 16 de outubro de 2008

A Robotização Existencial

A maior parte das pessoas morre aos trinta e só é enterrada aos setenta “. Frase proferida por um filósofo sueco.

Silêncio...

Vivemos cada vez mais numa sociedade desumanizada e alimentada por todos nós.

À pergunta – Então está tudo bem?

Respondemos automatica(mente) – Está tudo bem. E contigo?

Sem olharmos para a cara do nosso interlocutor.

Passados cinco minutos nem nos lembramos da Pessoa com quem interagimos.

Vivemos sob uma dominação mundial promovida por grupos que neuro/psicologicamente nos manipula e condiciona os passos que fazemos dia-a-dia.

São eles: Grupo Bilderberg, Maçonaria, Opus Dei, Vaticano, Comissão Trilateral, CFR, Illuminati entre muitos outros. Que lutam entre si e se toleram. Como por exemplo o Vaticano tolera a Opus Dei, por esta, ter um braço financeiro muito longo.

Escondem-se por detrás de seitas satânicas e compram tudo o que “Money can buy”.

Políticos, jornalistas, gestores, psicólogos, sociólogos, matemáticos, médicos etc...

São os grandes accionistas das grandes multinacionais que operam a uma escala global.

São os donos do mundo. Alguns excertos de pensamentos desses senhores:

Excerto de uma carta escrita por Rothschild Brothers de Londres a uma firma de banqueiros de Nova York em 25 de junho de 1863:

"As poucas pessoas que podem entender o sistema (dinheiro em cheques e créditos) vão estar tão interessados nos seus benefícios ou vão ser tão dependentes dele, que não farão a menor oposição. Por outro lado, a maioria das pessoas mentalmente incapaz de compreender a enorme vantagem que o capital extrai do sistema, carregará a sua carga sem se queixar e talvez sem suspeitar que o sistema é hostil (inimigo) aos seus interesses".

Sr. Phillip A. Benson, presidente da Associação dos Banqueiros Americanos, em 8 de junho de 1939:

"Não há maneira mais directa de se obter o controle de uma nação do que através do seu sistema de crédito (dinheiro) ".

Em Junho de 2005, o « The Financial Times » publicou um artigo, em que o antigo secretário de Estado Henry Kissinger, muito ligado aos negócios do petróleo, declarava:

« A procura e a competição pelo acesso à energia podem passar a ser fonte de vida ou de morte para muitas sociedades »

e acrescentava:

« Quando as armas nucleares estiverem disseminadas entre trinta ou quarenta países e cada um agir segundo os seus próprios cálculos , com menos experiência e a partir de sistemas de valores diferentes, teremos um mundo permanentemente ameaçado por catástrofes iminentes »

( Caroline Daniel “ Kissinger Warns of Energy Conflict “—The Financial Times , 1 de Junho de 2005).

Revista do banqueiro dos EUA, de 25 de agosto de 1924:

"O capital deve proteger-se a si mesmo de todas as maneiras possíveis, por combinação e legislação. As dívidas, os bónus e hipotecas devem ser cobrados o mais rápido possível. Quando pelos processos da lei, as pessoas perderem os seus lares, elas tornar-se-ão mais dóceis e governar-se-à mais facilmente sob a influência do braço forte do governo, aplicado por uma potência monetária central sob o controle dos principais financistas.

Esta verdade é bem conhecida entre os nossos principais homens agora empenhados em formar um império financeiro para governar o mundo.

Dividindo os votantes através do sistema político partidário, podemos fazer com que percam a sua energia na luta por questões sem importância real. Assim, por meio de acções discretas podemos assegurar para nós o que tem sido tão bem planeado e executado com tanto sucesso".

É evidente o desprezo e a arrogância.

Diz-se que o Estado, ficcionando a sociedade em classes separadas de privilegiados e carenciados, criou a Pobreza.

Há hoje 0,5% da população que detém 70% da riqueza, deixando os outros 99,5% da população competindo violentamente pelo restante.

Grupos que controlam as áreas fundamentais da vida das pessoas.

- Indústria Farmacêutica, Alimentar, Militar, Banca e Média.

Quando se dominava pela força e a injustiça era evidente – como 2+2 – hoje cria-se uma falsa aparência de decisão democrática. Em todo o mundo ocidental se criou uma espécie de binómio de direita/esquerda light que vai alternando numa suposta legitimidade democrática. Quando os políticos já estão “comprados” por estas forças superiores e transnacionais. A política essencial já está traçada noutros círculos.

Quem saia desta bitola de pensamento dominante logo é apelidado de extremista, irresponsável e por fim – a técnica preferida – a desacreditação. Em suma, marginalizado.

Por isso creio que realisticamente não poderá haver um País sozinho que corte radicalmente com este jogo de forças. Seria o mesmo que um Homem sozinho parasse com a sua força de braços um comboio em alta velocidade. Acabaria esmagado.

Tal é a complexidade financeira que a maior parte não entende os custos da contaminação. O dinheiro é a doença. E vale por quem lhe dê valor. A gigantesca economia norte-americana assente no seu desmesurado consumo é que acaba por dar valor ao dinheiro. Por exemplo os enormes excedentes monetários chineses e indianos aplicados em títulos do tesouro americano ficam valorizados em termos quantitativos. O dinheiro vindo do Arábia Saudita e afins de nada valeria sem o brutal consumismo americano. Isto das finanças e do valor que se dá ao dinheiro tem muito que se lhe diga.

Por exemplo eu, se tivesse 100 mil milhões de euros (o que seria muito bom) não o poderia aplicar em Portugal, porque, o nosso sistema financeiro não teria capacidade de absorver esse capital..

O sistema estremeceu e percebeu que se as pessoas não “puderem” pagar e não “poderem” comprar, o sistema entra em colapso.

Como proposta exequível, nos tempos que correm, será pela informação e desmontagem de assumpção em bases mentais sólidas e realistas, através do esclarecimento. Como alguns colegas Revolucionários dizem e muito bem – A Revolução são todos os dias.

Esta crise não está resolvida, mas sim, adiada na manipulação do Homo Sapiens Endividatus. O robotizado, por parte, da incomensurável crescente oferta da mão-de-obra que lhe retira A Capacidade de Decisão.

Não se curou as causas da droga, mas, os sintomas.





-----------

Post publicado por mim (tarde e a más horas) no Blog "Cheira-me a Revolução!". Blog colectivo de autores inconformados, de muito mais qualidade que eu, que, não se resignam ao estado a que isto chegou.
Para quem tiver alternativas, também pode visitar o "Blog Alternativas".

8 comentários:

ELE disse...

Muito bom este artigo, á semelhança de anteriores, mas para o complementar é bom frisar q esse tipo de "terrorismo" não se passa apenas nas classes mais baixas da sociedade, convém lembrar, a criminalidade, o exostracismo q cada um de nós se pode expôr ao dizer "publicamente" o q pensa, correndo o rísco de marginalização, o racismo bem patente p.e. na linha ferróviária de Sintra, onde gangs roubam e agridem cidadãos comuns, alguma "minorias" q nunca pagaram impostos, nunca trabalharam, roubam, traficam droga, maltratam os profissionais do balcão, e ainda auferem o rendimento minimo garantido, á conta do nosso érário público, "profissionais" q não trabalham, apenas auferem vencimentos chorudos, e nas horas vagas vão papar as mulheres da limpeza e jogar roleta russa com os pobres seguranças, enfim.......
Para não falar dos "objectivos" q agora impoêm aos seus subalternos (apesar da crise!!)Imaginem se no mundo da prostituição houvesse objectivos!!! Dando um exemplo: O chulo dizia-lhes - ó filha, para este ano, quero q faças "n" bóbós, "x" ás canzana, "y" enrrabadelas, estão a ver a cena, não??? ELE é fodido!!!!ohohohohohoh

Pata Negra disse...

E por estas que acredito que a crise financeira é uma invenção destes cabrões para nos manterem amordaçados e amarrados à pobreza.

Um abraço sem fim à vista

Diogo disse...

É preciso acabar com o controlo do dinheiro por privados e acabar de vez com o juro.

Julgo que tenho uma ideia de como fazer isso. Qualquer dia, publico-a no meu blog.

mugabe disse...

Mais uma vez os meus parabens pelo artigo. Abraço!

Artista sonhadora disse...

De facto é um bom artigo,que reflecte bem a crise que se vive nos dias de hoje,e os idiotas que estão nos governos de muitos países,no governo e não só.
pois é cada vez pelo menos em Portugal há cada vez mais pobres e depois há a classe alta,que tem também os seus problemas,mas neste caso felizmente não são financeiros,ou serão talvez de terem dinheiro demais.
Quanto aos robots,realmtente uns anos mais tarde,deve ser no que nos vamos transformar,e deve ser o que vai haver nas empresas,robots,em vez de pessoas.
O filme também é interessante,talvez seja uma comparação com o governo,e com algumas pessoas que estão num lugar mais alto na hierarquia de uma empresa,e até o Estado,que se pode comparar com diabos,e até vampiros que gostam de chupar o nosso sangue e tudo o que temos até não haver mais nada.

Ana Camarra disse...

Zorze

Cheira-me que já vi isto nalgum lado!
Acho que sim, tens de rentabilizar este bom post depois do susto que nos deste.

beijos

poesianopopular disse...

Zorze
Só existe uma possibilidade de acabar com este estado de coisas,:-a unidade na acção!
É preciso criar uma força, bem visível e organizada, democraticamente, para poder travar este monstro.
Felicito-te por este grande trabalho.
Abraço

casadegentedoida disse...

Amigo Zorze, muito bom artigo. Infelizmente é necessário que apareça alguem com um carisma muito forte para poder fazer mover as massas contra estes 0,5% que tudo controlam. não querendo ser derrotista penso que esta situação sempre existiu, duma maneira mais dissimulada, mas sempre existiu. desde os primordios da civilização sempre exitiram ricos e pobres em todas as sociedades, fortes e fracos, dominadores e dominados, conquistadores e conquistados. Sejam democratas, socialistas, comunistas, republicanos, trabalhistas, sionistas ou o nome que queiram dar, vai sempre dar ao mesmo. Actualmente o que vem acontecendo é revelador do medo que as alterações dos poderes estão causando aos que estão no "poleiro" (Poder). Quando surgem novos paises capazes de passar-lhes a frente toca a destrui-los, esmaga-los. Não quero comisso dizer que temos que nos conformar com a situação, não é isso, mas temos de lutar por condições mais dignas para todos, eles lá em cima que se matem e se explodam, eles não são eternos, nada mais levam desta vida a não ser uma caixa. Sim vamos continuar a exigir melhores condições de vida para nós e nossos descendentes pois o nosso "premio" esta guardado numa outra dimensão. Bom não me estico mais, fica bem e Até Já.
Um Abraço do casadegentedoida.