segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Homo Sapiens Serenissimus

A literatura espiritualista está repleta de referências a seres muito evoluídos denominados, conforme o caso, de Bodhisattvas, Avatares, Mestres Ascensionados, Espíritos de Luz, Espíritos Planetários, Arcanjos, Elohins, etc.
O Homo Sapiens Serenissimus, adiante designado por Serenão, na sua forma mais popular.
O Serenão é definido por esse autor (Waldo Vieira) como “uma consciência altamente evoluída, um verdadeiro epicentro de energias conscienciais de alta potência que opera de forma serena, destituído das emoções a que estamos habituados”. Ainda segundo o autor, o Serenão também aparenta ter grande tranquilidade, equilíbrio, maturidade, discernimento, cosmoética, completo controle biológico da fisiologia do corpo, inclusive das funções vegetativas, do cerebelo, do sistema nervoso autónomo e do próprio metabolismo, empregando inclusive 100% da capacidade cerebral na forma de múltiplas inteligências.
Até onde se sabe, não existem Serenões descritos pela história.
Personalidades formidáveis em todos os sentidos, tais como Gualtama (Buda), Confúcio, Jesus (Gesù di Nazareth), Maomé, Francisco de Assis, Kardec, Ghandi, Conde de Saint Germain, entre muitos outros, nas épocas em que viveram encarnados na Terra, não eram, portanto, Serenões.

Os Serenões tem sua origem a partir do processo natural de evolução da consciência na medida em que essas vão se libertando das amarras que as prendem à teia cármica de reencarnações forçadas, surgidas em virtude da lei da causa e feito. As consciências vão ganhando cada vez mais lucidez e capacidade de discernimento, passando a planear existências produtivas onde passam a trabalhar não somente os diversos aspectos de sua evolução, como também a colaborar mais decisivamente para o progresso da colectividade intra e extrafísica.
Dessa forma, ao longo de várias existências, na medida em que a consciência vai evoluindo ela vai esgotando as possibilidades de aprendizagem na dimensão intrafísica, uma vez que, a cada vida, ela recupera mais rapidamente suas habilidades e poucas coisas passam a constituir desafios para suas imensas capacidades. Assim, a consciência chega a um ponto em que se torna um Serenão e, dando prosseguimento a esse processo, ao esgotar completamente as possibilidades de aprendizagem na dimensão intrafísica, ela não mais tem necessidade de reencarnar, passando a condição de consciência livre.
Para o autor da Teoria dos Serenões (Waldo Vieira), o Serenão constitui a próxima etapa de evolução do ser humano, razão pela qual ele os denomina por Homo sapiens serenissimus.
O Serenão seria um gigante insuspeito, pois nunca deixa transparecer as imensas capacidades que possui. O completo anonimato é uma de suas principais características.

Apresentada oficialmente por Vieira, em 1970, a hipótese da existência dos Serenões fundamenta-se em dois argumentos :

(1) - Se abaixo de nós, seres humanos, há uma série de animais sub-humanos, sem autoconsciência, instintivos, de menor patamar evolutivo, com os quais convivemos há milhões de anos, porque não haveria outras consciências de nível mais avançado?

(2) - Se existem super-criminosos que actuam anónimos, planeando e agindo para promover o mal a outros seres, por quais motivos não pode haver seres humanos superdotados do ponto de vista assistencial, actuando de forma anónima, ajudando milhares de pessoas por meio de seu amplo domínio bioenergético fraterno?

Em sua obra "700 Experimentos da Conscienciologia" Vieira introduziu um modelo para classificar as consciências intrafísicas em quatro tipos distintos, conforme seu nível relativo de evolução:

(1) - Pré-serenão: Consciência que ainda está trilhando as etapas iniciais da evolução. Teria, hipoteticamente, 25% de serenismo, ou seja, 25% das capacidades de um Serenão. A maior parte da população da Terra se encontra nesse nível.
(2)- Desperto: Consciência que não mais estaria sujeita aos assédios (obsessões, encostos) interconscienciais e que teria um grande domínio das suas energias. Teria, hipoteticamente, 50% de serenismo, ou seja, 50% das capacidades de um Serenão.
(3) - Orientador Evolutivo: Consciência responsável pela coordenação de um grupocarma formado por milhares de consciências intra e extrafísicas, orientando-as e acompanhando-as no desempenho de suas programações existenciais. Teria, hipoteticamente, 75% de serenismo, ou seja, 75% das capacidades de um Serenão.
(4) - Serenão: Consciência que atingiu ou que está por atingir o máximo nível evolutivo na Terra.

Os Serenões apresentam 8 características fundamentais e interdependentes, descritas a seguir.

(a) Evolutividade: O Serenão é muito mais evoluído do que a média da população terrestre. Estando em suas últimas encarnações, encontra-se próximo da condição de consciência livre – aquela que não mais reencarna.
(b) Serenismo: O Serenão demonstra ser completamente tranquilo e inabalável sob quaisquer circunstâncias. É essa condição que lhe dá o nome.
(c) Multidimensionalidade: O Serenão actua como um peão ou ponte multidimensional, canalizando enormes quantidades de energias da dimensão intrafísica para a dimensão extrafísica e vice-versa.
(d) Bioenergética: O Serenão actua como uma verdadeira usina de força bioenergética empregada em prol da assistência de outras consciências. Suas energias apresentam um grau de pureza tal que se assemelham muito às energias imanentes, existentes na natureza.
(e) Catálise: O Serenão actua como um catalisador evolutivo, criando, directa ou indirectamente, oportunidades para a evolução das consciências intra e extrafísicas ao seu redor.
(f) Sustentabilidade: O Serenão sustenta com suas próprias energias um certo número de consciências intra e extrafísicas, harmonizando os processos energéticos dessas consciências.
(g) Assistencialidade: Sendo altruísta e fraterno, o Serenão assiste outras consciências extrafisicamente de forma oculta, sem imposições e com total respeito consciencial (cosmoética).
(h) Anonimato: O Serenão ainda não foi formalmente identificado intrafisicamente, mas apenas extrafisicamente. Com grande habilidade, o Serenão passa despercebido pela humanidade, mantendo-se ignorado pela história e pelas consciências que assiste.

Encontrando-se no limiar das existências intrafísicas, os Serenões são capazes, graças ao seu domínio das bioernergias, de realizar proezas que beiram ao inacreditável. Seus demais atributos conscienciais são igualmente extraordinários, principalmente o anonimato do qual se revestem, o que os coloca no contrafluxo da sociedade intrafísica que supervaloriza a imagem pessoal.

Com relação as suas designações específicas, elas foram criadas pelos projectores que os encontraram. Seria o caso de Rosa-dos-Ventos, uma Serenona intrafísica que reside no Rio Grande do Norte, próxima a Natal e Australino, um Serenão argentino. No caso desses dois Serenões, suas denominações foram aparentemente escolhidas em função da localização geográfica em que residem intrafísicamente.
Em outros casos, contudo, são os próprios Serenões que escolhem o nome pelo qual desejam ser conhecidos. Seria o caso, por exemplo, de Ki-Lin, um Serenão chinês.
A Monja, outra das Serenonas reconhecidas.
Reurbanizador, um Serenão oligrofrênico (sem desenvolvimento mental) que residia na Alemanha, desencarnou em 18 de julho de 1990. Segundo Vieira seu desencarne teria causado, dentre outras possíveis repercussões, a morte súbita de pelo menos três paranormais na mesma ocasião (dois deles teriam sido um médium residente em Palmelo, Goiás, e um babalorixá residente em Alagoas), possivelmente por terem sido privados da sustentação energética proporcionada por esse Serenão.






Não tenham medo da evolução. Todos nós atingiremos esse patamar evolutivo. A questão é o tempo que cada um vai levar a chegar lá. Nem que seja pelo cansaço.
A partir de consciência livre, nada se sabe, talvez nossos cérebros ainda não sejam capazes de entender tal forma de existência. Mas aí não mais precisaremos de corpos físicos, libertos de prisões inter-cármicas e de nos alimentarmos de cadáveres animais e vegetais, para sobrevivermos.
Você é um portento de energia e fé (mesmo que julgue que não). Não deixe que essa fé seja dominada por ideias de outro homem, abocanhada por qualquer religião ou ideia dominante. Você nasce livre e se quiser você é livre numa assumpção mais intimista. Você é membro e parte integrante de pleno direito do Universo.
Com toda a serenidade ...


-------


- Cesar de Souza Machado – Brasília-DF, 15 de outubro de 2003.
- VIEIRA, W. Conscienciograma. Instituto Internacional de Projeciologia. 1a ed. Rio de Janeiro; RJ. 1996.
- VIEIRA, W. Conscientiology research areas. Journal of Conscientiology; Vol. 1 N. 1; International Institute of Projectiology and Conscientiology; Miami, FL; Outubro, 1998.
- Vieira, W. 700 Experimentos da Conscienciologia , 1994.

11 comentários:

mugabe disse...

eu gostava de ser um Serenão !!!!!

Ana Camarra disse...

Que texto enorme, há velocidade com que postas isto deve ser post até ao Natal…
O Serenão, ou serão os Serenões?
Tanta categoria?
Vai lá vai, eu não tenho a mesma simpatia por todos, embirro com o Buda por exemplo!
Mais música chilout…
As imagens são bonitas, quem canta é a Lisa nãoseiquantas, olha, uma pessoa a voar…..que inveja!
Quanto ao final, ainda estou á espera que me expliques os carmas…
Não tenho medo de evoluir, nunca!
Acho que a vida é um processo de evolução.

Beijos

Zorze disse...

mugabe,

Hás de lá chegar.

Ana,

Calcula-se que hajam cerca de 60 actualmente a viver entre nós. Aquelas pessoas que referi no início como o Buda e outras, não são Serenões, apesar de haver milhões de pessoas que pensem que eles representem o máximo do ser humano. Existem seres ainda mais evoluidos que não precisam de se mostrar ou obter reconhecimento.

Abraço para ele e beijos para ela,

Zorze

poesianopopular disse...

Zorze
Ao contrário do mugabe, eu não quero ser Serenão, penso que em parte o mal da humanidade está em querer-mos ser tudo excepto nós próprios, nós somos todos importantes, tal como somos, apenas precisamos de acreditar,mais uns nos outros .
Gosto de ver e tomar conhecimento destes estádios avançados que apresentas, mas penso que a humanidade está muito áquem, destas espectativas.
Abraço amigo

olivar disse...

Sou ignorante sobre o tema q é belissimo!!! Deve ser fascinante ter consciência dessas existências, dá esperança na vida para lá da morte fisica, mas não invalida o propósito desta, a qual muitos de nós não fazem ideia do q andam neste planeta a fazer, embora outros desconfiem!!!
Parabens Zoreze, estás a regressar ao cerne deste blog (fugindo de politiquices!!)
Como atrás a Ana disse sobre chill out, acabei de te gravar mais cd's do genero, com predominio de Vangélis, esse "maestro" do Olimpo!!!

Diogo disse...

Caro,

Penso que a imortalidade está próxima (devido à tecnologia) e consequentemente uma transcendência (também devido à tecnologia) que fará de nós semi-deuses. Faltam poucos anos.

Marreta disse...

Segundo a minha auto-análise eu devo estar no nível "Desperto". Já não deve ser mau.
Saudações intrafísicas do Marreta.

Zorze disse...

Poesia: mas estás como todos nós a caminhar para tal. Agora quantas vidas precisamos para atingir esse patamar? Muitas.

Olivar: são os serenões que estão-se a dar a conhecer aos poucos. Nada é por acaso.

Diogo: nos dias de hoje, numa só vida conseguimos evoluir muito mais. A evolução a partir de certa altura tende a ser mais rápida.

Marreta: ainda estamos algures entre o pré-serenão e o desperto. Nós ainda estamos sujeitos a muito assédios. Por exemplo, o vicío da nicotina.

Abraços a todos,
Zorze

Artista sonhadora disse...

epa nunca tinha ouvido falar em semelhante nome,serenão,nunca me tinha ocorrido esse palavrão assim para designar a consciência,mas tá espectacular.
É um texto muito informativo,cheio de cultura,muito bem.
E claro que é muito bom evoluir-se sempre,nem que seja para esse nome estranho lol.

casadegentedoida disse...

Amigo Zorze, belo texto, um pouco extenso mas belo. Não serás tu um Serenão? Com as tuas capacidades de transmitir energias positivas aos intrafísicos que te rodeiam? como disseste "eles não se dão a conhecer". Bem podes ser um deles. Quem sabe, não é?
Fica bem, um abraço do casadegentedoida.

Alex Rosa disse...

Cada linha do Conhecimento tem seus termos, se analisar com calma, vai ver que algumas entidades mencionadas na Fraternidade Branca, já são Serenões, e outras mais evoluídas ainda, são Conciex Livres!!!