quinta-feira, 30 de outubro de 2008

O mago das finanças

Este senhor foi um dos principais responsáveis pela crise que vivemos actualmente, Alan Greenspan. O mago, o arauto do neo-liberalismo, do capitalismo selvagem e sem regras. Foi o presidente da Reserva Federal norte-americana desde 11 de Agosto de 1987 até 31 de Janeiro de 2006. Atravessou quatro administrações; Ronald Reagan, George Bush (Pai), Bill Clinton e George W. Bush (júnior). Em 1999, em plena administração Clinton, consumou a plenitude do seu (e de outros) pensamento, a completa desregulação dos mercados, na fé de que os mercados se auto-regulariam por si só.
Figura que dificilmente era posta em causa, devido aos "grandes" conhecimentos teóricos da finança internacional, vem agora cândidamente dizer - que errou, que não fazia ideia da dimensão da crise que poderia daí advir.

Às seguintes perguntas, como será que este ser na sua intimidade responderá?

- Não lhe pesará a consciência quando se deita para dormir?
- O que pensa quando se olha ao espelho ?
- O que pensa quando lê relatórios de organizações humanitárias de que existem pessoas que morrem de fome?
- O que pensa quando lê relatórios económicos de que uma grande percentagem da população humana vive com pouco mais do que 1(um) dólar? Quando o próprio assinou diversas vezes a emissão (fabrico) de milhões e milhões de dólares.

Não teve a sorte de alguém lhe explicar cabalmente, de que a vida intrafísica, é efémera e quando se morre só se leva apenas a consciência, tudo o resto fica.

Peão-mor de organizações secretas, que pretendem o domínio mundial, a onda de desemprego que aí vem, já estava planeada por estes especialistas.
A qualquer um de nós, poderão, apontar o dedo e dizer - Estão lá fora 100 (nº que provavelmente será muito superior) pessoas que aceitam fazer o que tu fazes por mais horas, e por menos dinheiro.
O aumento alarmante de oferta de mão-de-obra a isso levará. A ESCRAVIDÃO.

Num sistema que à algumas décadas deixou de ter suporte proporcional em reservas de ouro aquando da emissão de papel-moeda. Emitindo títulos de dívida pública. A economia norte-americana assim se desenvolveu, contaminando o resto do mundo, na assumpção de "quanto maior for a dívida externa americana, melhor", apoiada no desmesurado consumo das famílias norte-americanas. Aliás este sistema é que dava valor aos excedentes monetários gigantescos das economias emergentes.
Com a desregulação dos mercados, alguns bancos americanos criaram fundos de investimento mágicos e de grande rentabilidade. Estados investiram neles, gestores públicos em todo o mundo até fundos de pensões arriscaram nessa espécie de voodoo financeiro.
A culpa é de todos, e em todo o mundo. Para quem gosta da palavra Global, digo que a irresponsabilidade é Global.

Mas, o pior ainda está para vir, não sendo um pessimista (mas sendo), hoje aparecem analistas que já prevêem o impensável. O que tem alguma lógica com base nos dados actuais que as recentes injecções de capital já se derretaram e é preciso mais. Talvez (esperemos que isso não aconteça) em meados do ano 2009, o Estado norte-americano, poderá, não conseguir pagar os seus títulos de dívida pública, tornando-se insolvente. Aí inicia-se o colapso, um efeito dominó mundial, de tal forma devastadora, que a espécie humana actual nunca viu.



( Sem legendagem em português, mas, num inglês gritante o pujé numa comissão de inquérito a 23 de Outubro de 2008, a dar o braço a torcer parcialmente).

Publicado no blog "Cheira-me a Revolução!".

8 comentários:

poesianopopular disse...

Zorze
Este é uma peça importante da máquina capitalista, quem nos dera que fosse único, mas infelismente, o capitalismo é um polvo, que se reproduziu pelo mundo.
Abraço

mugabe disse...

Camarada; eu diria muito simplesmente que este é um filho da puta dos grande, dos maiores, um peão de brega importante no jogo a que os Bilderbergs nos querem subjugar,...olha, acho que temos todos nós que começar a traçar estratégias e objectivos de sobrevivência, porque como tu mesmo dizes e eu subscrevo o que vem por aí, não é nada de bom nem de agradável.

Abraço!

Ana Camarra disse...

Zorze
Como o post é igual ao Cheira-me a Revolução o comentário também.

Pronto, este senhor é um dos responsaveis.
Apesar de ligar pouco aos teoricos, sou uma mulher mais prática, já o sabia.
Não acredito que lhe pese nada na consciência, este tipo de pessoas, chamesmo-lhe assim, funcionam como predadores, não têm remorsos.
Estranho é que o modelo capitalista, de larga aposta na tecnologia, prometia ás populações o contrário daquilo que oferece.
Prometia por exemplo que com o avanço tecnologico a especie humana trabalharia menos e teriamos todos mais tempo para outras coisas, viajar, estudar, pintar, compor, esculpir, amar, enfim viver.
A realidade deste futuro próximo onde vivemos não podia ser mais diferente, o trabalho é maior, menos gratificado em dinheiro e direito, existem muito menos tempo disponivel para aquilo que descrevo atrás como viver.
A cultura é de certa forma negada, a educação, a saude, os tempos livres.
Portanto este modelo sufoca a especie humana.
Exemplos historicos não faltam, as populações costumam aguentar muito, mas não aguentam tudo, estamos a chegar a um ponto onde cada vez as pessoas tem menos a perder, como tal estes senhores que se ponham á tabela.

Beijos (só neste!)

Diogo disse...

É fogo de vista. Na realidade os bancos centrais estão a retirar dinheiro de circulação. O objectivo é uma grande depressão. Como já fizeram inúmeras vezes no passado.

Pata Negra disse...

Uma espécie de Egas Moniz do capitalismo? Pelo menos assumiu alguma coisa! Estarão muito mais na fila? Por cá, ninguém se acusa!
Uns mudam sorrateirammente de discurso - já vi disto num longíquo 74. Outros atiram em todas as direcções para protegerem a cabeça. Outros teimam em levar-nos para o abismo.
A crise transformou-se numa dor que dá prazer - estaremos acordados? Sócrates continua no poder! Somos assim! Lembram-se de quando a nação recorreu a Salazar?
É hoje ou nunca!
Um abraço já na rua

mugabe disse...

Zorze, em relação ao post da Ana e sobre a demência (concordo em absoluto com o que lá disseste) queria incentivar-te a dissertares sobre o tema que acho interessantíssimo. É como dizes, todos temos um determinado grau de demência o que é absolutamente normal...faz parte.

Abraço!

Diogo disse...

Caro Zorze,

Não creio na vida intemporal da consciência. Lamento que estes assassinos tenham tido uma existência doce ante do nada eterno. Deviam pagar cá.

OLIVAR disse...

Vendo bem as coisas, esse cavalheiro não é mais do que um emissário do Sionismo mundial!
ELES querem dominar mais ainda o planeta, ELE é Capitalismo selvagem, facho, reaccionário, etc, etc, ou lá como lhe querem chamar, pois as "pandilhas" estão-se marimbando para a pováça,ideologias politicas, religiões, e quaisquer outros tipos de diferenciação!! No entanto, ELE há que manter aberta a pestana.