sexta-feira, 16 de maio de 2008

Projecção Extrafísica: Para-Cidade

ºTive esta Projecção Extrafísica em Outubro de 2007. Antes do despertador tocar às 7H30 estava na fase do acorda, não acorda. Reparei no relógio que eram já quase 7H e que dali a pouco iria me levantar. Já era dia mas ainda tentei dormir mais um pouquinho e às tantas vejo-me numa sala, tipo recepção de Hotel. Fazendo algumas perguntas mentais a mim próprio (técnica que nos ajuda a aumentar a lucidez e a percepção de que estamos no Extrafísico e não a sonhar), com isso, aumento o meu nível de consciência. Percebo que são quase 7H da manhã, que o meu corpo físico está em casa deitado na cama e que estou ali em estado projectivo.
º
Vejo um homem aparentando cerca de 50 anos ao pé do elevador. Estava meio atrapalhado e sem perceber bem o que estava ali a fazer, não falava nem olhava para mim apesar de sentir a minha presença. Mentalmente percebi que aquele senhor tinha falecido há pouco.
Entramos os dois no elevador. Sinto o elevador a subir.
º
Quando chegamos cá a cima, o meu espanto foi tão grande, que nunca mais me lembrei do senhor. Lá em baixo era a cidade onde vivo. Via as pessoas na fila do autocarro, os carros a circularem nas ruas o movimento normal àquela hora. Vi logo que estava na Para-cidade de minha cidade. Não era como eu imaginava, era como se fosse uma pala ligeiramente inclinada para dentro como alguns estádios de futebol, mas, muito larga, uma espécie de anel irregular que era paralela às fronteiras da cidade.
-
O chão, pelo menos na zona onde eu estava era muito colorido. Uma mistura de Alice no País das Maravilhas com o Mágico de Oz. Havia edifícios relativamente simples e àquela hora havia um grande fluxo de consciências extrafísicas. Via eles a atirarem-se para a cidade, tipo avatares no Second Life. Uns para assediarem, outros para ajudarem as pessoas nas suas vidas Intrafísicas.
Fiquei algo supreso por a minha cidade já ter uma Para-cidade, ainda, que algo simples, pois é, uma cidade relativamente recente. Como serão as Para-cidades de cidades muito antigas ?
º
Dou por mim a abrir os olhos já no Intrafísico e vejo que já são quase 7H20. Já não esperei pelo despertador. Fui fumar um cigarrito à janela e fiquei a olhar para o céu. Estava uma linda manhã de Sol e pensei - A grande actividade que está a acontecer na dimensão Extrafísica neste momento e a gente não vê nada.
Com as feições da cara do tal senhor que me acompanhou no elevador pensei em ir visitar os cemitérios da minha cidade para comprovar. Mas lembrei-me que demoram alguns dias, às vezes, semanas para a familia do ente querido que partiu para colocarem na campa os mármores, as dedicatórias (com grande energia de saudade) e a fotografia. Como eu sou uma consciência intrafísica muito preguiçosa fui deixando passar e agora já não me lembro bem da face do tal senhor.

7 comentários:

Silvia Salazar disse...

Jorge lembra lá a face do tal senhor para saber quem foi esse fulano. Como amanhã vamos almoçar juntos então vais conta me essa projecção extrafísica.

Beijosssss...


Silvia Salazar.

casadegentedoida disse...

Fizeste-me lembrar aquela serie que da na Fox: "EntreVidas", em que a Melinda vê as almas dos mortos e os ajuda a encontrar a Luz. Talvez estas tuas projecções tenham a ver com algo relacionado. Se calhar "Eles" precisam de que alguém indique o caminho ou então que os esclareça: "você Morreu, está noutra dimensão".
Abraços do casadegentedoida.

casadegentedoida disse...

Esqueci-me de perguntar: por vezes não será essa a finalidade da viagem até outra dimensão? Tambem?
Abraços.

poesianopopular disse...

Zorze
O homem estaria mesmo morto? Ou setava mal enterrado?
Seja como for, as viagens ao extrafísico, pelo menos não congestionam o trânsito!
Abraço amigo
Manangão

Miss Piggy disse...

Olá meu caro Zorze, esta projecção eu ainda não conhecia(também não posso saber tudo...), o que mais me impressionou nesta projecções foi a parte do senhor há porta do elevador, pois fiquei a pensar... ele podia não ter morrido, podia ter entrado em coma e não saber o que fazer quando se deparou com a sua parte física... isto é uma hipótese para o seu nervosismo, e quem sabe se o senhor não teria ido lá procurar-te? para que tu o pudesses ajudar a compreender o que se estava a passar? este caso é um pouco complicado... pois tem muitos se's que nem sempre conseguimos responder... pelo menos conscientemente...


Beijinhosss e Abracinhossss

A Outra Senhora disse...

Senhor Zorze, eu sou o tal senhor do elevador.
O meu nome nesta última vida era António de Oliveira e mais qualquer coisa que me falha da lembrança, mas que creio ter algo da menina brasileira que já aqui lhe deixou uma missiva. Queria somente esclarecer que eu nunca tinha andado de elevador, e por isso o meu ar deveras assustado. Porque morto mas não parvo, que este meu doce Portugal, lamento dizer, está entregue a gente que fazia mais sentido deste lado do que desse.
Esta minha recente visita deveu-se apenas a querer ver como um senhor Engenheiro tinha deixado este (outrora) grande e próspera nação cair nesta rebaldaria.
Aproveito para lhe deixar aqui os votos da melhor das sortes na sua vida física que cá ao aguardarei na próxima.
P.S. - Em breve virei buscar o dito Engenheiro, que a sua obra envergonha Portugal.

caracolinhos disse...

Amigo Zorze já andas a ver mortos fogo,tens essa capacidade mesmo extrafisica?lol. Realmente se a nossa cidade fosse como imaginaste ,seria melhor isso sim.
Pois é quem seria esse tal senhor?seria o Alfredo da Silva,loolol,que vai ser mudado de lugar coitado do homenzinho,estava taõ bem ao pé das árvores e do jardim,ali sem fazer mal a ninguém,e agora para construirem um elevador e sei lá que mais,lá vai o homenzinho ter que se por a mexer dali lolol,nem deixam os mortos também em paz,fogo.
Olha e não fumes cigarritos,faz mal á saude,além de que olha a lei do tabaco.