quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Testemunho de um Banqueiro

Parece que este livro passou de validade. A crer no que se tem passado ultimamente, a coisa é mesmo real.
Parece que já não vale a pena comprá-lo. Testemunho de um Banqueiro - João Rendeiro.
Ex-Presidente do BPP - Banco Privado Português. E depois não querem que diga que somos a anedota da Europa. Ainda me lembro à duas semanas o pujé numa entrevista na SIC Notícias a vangloriar-se das suas capacidades financeiras, o talento, a obra, o arauto, resumindo o palhaço.
Logo que saiu o livro já andava numa ufa-ufa - Salvem-me!
Depois aparecia na TV a dizer - Estou tranquilo, existem soluções positivas.
Parece que foi corrido. Não foram na cantiga do "quem venceu nos mercados". Paradoxal é o selo da capa do seu livro - " Invista em segurança - 10 conselhos", pelos vistos a coisa não correu bem. Não se preocupem que ele safa-se. Pior é você que não tem nada a ver com isto e já está a pagar pelas asneiras destes arautos do mercado que defendiam que os mercados se auto-regulam por si próprios. Agora regulam-te o BPP e pianinho. Mas, que palhaço!
Alguns dirão, mas, o senhor tem um currículo intocável, tem um percurso de não sei o quê. Em Portugal existe melindre na crítica, parece que é proibido, que, não se pode mexer em certas coisas. Por isso é que você é enrabado à muitos anos, mas, como lhe envasinaram o rabiosque, você já nem sente. Deixe-se estar, que estes gajos sabem cagar-lhe em cima, e você questiona-se se amanhã vai pelo o IC 312 mil ou dá a volta por Odivelas via Ramada com saída para a Bobadela, com uma "mine" pelo caminho.
Acordou e dói-lhe o cú? Compre o livro acima descrito e vai perceber porque custa-lhe sentar na cadeira do escravizado.
O vídeo em baixo, retrata o meu estado de espírito perante estes talentos, os magos e os virtuosismos.
- Ó Rendeiro, queres gerir a minha fortuna pessoal ?! Os meus móveis não são Luis XIV, são Moviflor. Devem valer qualquer coisa.
Como sou um mãos largas para as Finanças, disponibilizo-me a ajudar o BPP e seus "pobres" clientes: o meu nº de contribuinte - 207 tira tira mete mete.

9 comentários:

poesianopopular disse...

Zorze
É vedade companheiro, isto é mesmo para rir, qualquer palhaço gostaria de inerpretar esta palhaçada.
O que me dói amigo é o povo não ter capacidade para dar resposta a estes profissionais da vigarice.
Abraço grande

Pata Negra disse...

Neste Natal, lembre-se dos pobres banqueiros! Ah não quer dar nada? Não faz mal, os seus procuradores eleitos já deram!
Um abraço privado

mugabe disse...

ahahahah...boa malha Zorze..são mesmo uns palhaços, mas infelizmente nós é que pagamos !!

Abraço!

Diogo disse...

A «crise» do BPP é igual à «crise» do BPN e a todas as outras «crises bancárias» actuais. Num monopólio bancário, um banco é apenas um balcão de um banco maior. Eles trocam os activos e de repente, no meio de recordes de lucros, surge uma «crise». Tudo não passa de uma cortina de fumo para uma recessão deliberada e programada. É nas recessões que os bancos arrecadam a economia a preço de saldo. É a altura da colheita.

Ana Camarra disse...

Essa criatura é competentissima, vê lá se ele não geriu bem a vida dele?!

beijo

CRN disse...

Zorze,
Intervenção do estado, nacionalização, o resto só servirá para continuar a encher; sempre - mesmo que com o dinheiro do nosso trabalho - a saca destes vampiros.

A revolução é hoje!

Artista sonhadora disse...

lool gostei do teu texto realmente como pode o pessoal desse banco se queixar tanto ,se é um banco que só gere riquezas,tem o dinheiro dos mais ricos não é.e mesmo a escrever um livro esse não se safou,pois é agora qualquer um escreve qualquer porcaria e as editoras aceitam certas coisas mesmo que depois quase não se venda,e esse como dizes e é verdade agora já está desactualizado e já n.serve para nada só mesmo para papel higiénico loolol.talvez esse banco também me queira dar algum lol,já que tem tanta riqueza ou deviam ter.enfim é só vigarices ,esse e o BPN.

casadegentedoida disse...

Amigo Zorze, não é preciso ficar tão chateado, o homem só meteu uns milhões ao bolso, mandou algum para fora e depois vai buscar quando a poeira assentar. O que são uns milhões? o dinheiro nem era dele, era dos 3.000 clientes que colocaram lá as suas fortunas (ainda bem que não abri lá conta senão teria que vender os 3 Mercedes, a vivenda no Allgarve, o Monte no Alentejo, a Moradia na Charneca da Caparica, a casa da Serra da Estrela, o apartamento no Geres, o apartamento da Foz do Douro, o apartamento na Madeira, o escritório nas Amoreiras, a moradia de Sintra e sei lá mais o que, já não poderia ir mais de 12 vezes ao estrangeiro, é seria uma chatice). Aquilo era um livro ou um manual de........?
Era bom que tudo fosse verdade mas é pura ficção.
Abraços

João Rendeiro disse...

Sr, Jorge, é João Rendeiro que lhe fala. Lamento a falta de nível dos seus "amigos", na falta de palavra melhor, mas calculo que por privarem consigo este seja o habitual nível de comentários que poderia esperar.
O meu advogado entrará em contacto consigo para remover esta matéria suja e gritantemente difamatória do seu pasquim virtual com a máxima brevidade, sob pena de lei.
E não se meta comigo, meu menino, que eu como-o vivo.
Com ou sem vaselina.