terça-feira, 16 de dezembro de 2008

José Castelo Branco - In the City

9 comentários:

Ana Camarra disse...

Ai a minha vida!

ZORZE que é isto?!

A "coisa" tem a mania que canta?

Valha-me o Santo Eucarário!

beijos

poesianopopular disse...

Zorze
Essa coisa não tem culpa, a sociedade em que vivemos é a criadora, desta aberrações, não sei se artisticas se humanas se...
Eu gostava que alguem entendido me explicasse qual a utilidade do transformismo, culturalmente falando...
Abraço

mugabe disse...

Ah...este gajo é aquele paneleiro, transformista ou lá o que é...famoso não é ??/ é pá, disso há ás toneladas aqui no Brasil....vai lá..vai !!!!

duarte disse...

mais um zé,ao menos este é assumido...
e só levamos com ele se quisermos!
devo reconhecer que o zé cabra fez pior...estou a brincar!
até não está muito mal...em nova iorque...
abraço do vale

Marreta disse...

E olha que a parte instrumental é fixe! Se não fosse o trombone dele até era um disco a considerar. Há aqui uma mistura de new-wave com punk hardcore e gótico.
Muito melhor do que Tony Carreira e Graciano Saga!

Saudações do Marreta.

Ludo Rex disse...

Epá, isto é um sub-produto do capitalismo neoliberal...
Um Abraço

Diogo disse...

Quem não o conhecesse diria que era maricas...

Mariazinha disse...

Hello Zorze,
Long time no see!!

Que personagem, aqui está o verdadeiro exemplo de que é tudo possível. Eu até não acho que seja assim tão mau, há piores.Quanto ao homem ser homossexual é normal, se gosta de homens só tem mais é que se assumir e não ter medo do julgamento dos outros. Um homossexual não é um bicho, é um ser humano que merece respeito.
Nesta sociedade que se quer tão democrática,as escolhas sexuais das pessoas não podem ser objecto de segregação.

Beijokas

Pata Negra disse...

Não foi este que hoje - ou ontem? - foi anunciado como candidato à câmara de Lisboa!?
Se não foi, perdoem-me a ignorância jetssetiana.
Um abraço e viva o gajo