terça-feira, 24 de junho de 2008

Brazonaria

Já tinha trazido este conceito para o blog, "Os Brazonados" (clica aqui para reler) .
Em resumo é uma mistura de; novos-ricos, trepadores sociais, classe emergente e arrogantezinhos de merda. Os que têm a mania de terem Brazão. Este tipo de raça (volta a estar na moda a raça) trespassa todas as classes sociais e áreas da economia. Pois o que a determina é um certo tipo de mentalidade humana mesquinha.
O outro ponto de vista que trago hoje, é esta classe no mundo do trabalho, ou melhor, no mundo do emprego.
Quando colocados em níveis inferiores reconhecem-se logo, são: os sabujos e os bufos. Andam sempre de um lado para o outro e dão uma falsa ideia de dinamismo, mas, o seu dia de trabalho espremido é quase igual a zero.
Agora, a coisa torna-se perigosa, quando, lhes atribuem cargos de chefia ou políticos. Ai é que a porca torce o rabo ! Um dos grandes problemas das nossas sociedades são os cargos intermédios. Quando esta Brazonada atinge um cargo de chefia, seja em; serviços públicos, hospitais, empresas privadas, escolas, etc. O respectivo serviço fica bloqueado, pois, não sabem trabalhar - apesar de precisarem de quem saiba -, têm medo de tomar decisões e normalmente fazem-se rodear de outros iguais, ou seja, mais sabujice e mais bufaria. Vão-se premiando uns aos outros, numa lógica de amén e vénias.
No dia-a-dia este tipo de gente é aquela que reclama por tudo e por nada. Entram numa loja e reclamam logo da funcionária por acharem que determinado produto deveria ter a cor de burro a fugir, pondo em causa o trabalho da mesma. Não têm pena e são mal educados.
São os que entregam os filhos na escola e se os petizes não aprendem ou se têm más notas a culpa, claro está, é do professor. Se tiverem uma empregada aos seus serviços, desgraçada da rapariga. É a geração dos direitos no limite do absurdo. Só vêm os seus direitos esquecendo-se os dos outros. São os grandes fomentadores da corrupção.
Esta canalha que mina o nosso País tem que ser denunciada e combatida. Quando confrontados com determinação e força, atrofiam-se, porque, regra geral são cobardes na sua essência.
Deixo aqui um vídeo que está a fazer muito sucesso em terras de Vera Cruz (que também tem muito desta brazonaria). A música é dedicada a este tipo de gentalha, com todo o meu amor e carinho.

10 comentários:

OLIVAR disse...

Excelente!!!! È um regalo para oste sentidos, a critica a esses seres rastejantes que tanto nojo metem, ARGH!!!!! O cover das 4NONBLONDE, cantado em brasileiro (pois em português, seria vai LEVAR no cú, e não "tomar..."), acaba por ser bastante soft!
Infelizmente lidamos com essa escumalha todos os dias, estando esta praga espalhada por todas as classes (não pensem que são só os ricos, os arrogantes e afins, os pobres tambem são pobres de espirito!!), a melhor maneira de os combater é NÃO LHES DAR O PROTAGONISMO POR ELES DESEJADO, não bastando ignorá-los, mas tambem fazer-lhes ver que pertencem a uma escala social bem mais baixa que eles pensam!!!!

poesianopopular disse...

Zorze
Em cheio!
E a quantidade de carros com o emblema da monarquia, mas atenção estão todos bem empregados, espalhados por tudo que é sítio, como antigamente a os Pides!
Para esta gentalha, o trabalho é uma desonra.
Não à dum-dum que chegue para esta parasitagem.
Abraço

Diogo disse...

Aos brazonados é enfiar-lhes com uma cadeira real pelos cornos abaixo.

Pata Negra disse...

Já conhecia a música - e tantos os vídeos que a acompanham - e até a postei no meu "blog secreto" - não tenho a tua coragem!
Não tinha era ainda ouvido ninguém, como tu, a tocar nessa gente que tão bem contornas! Parabéns!
E já agora uma história curta:
quando passei a pronto ( na tropa, claro!) um miliciano da peluda deu-me a lição de como sair com um louvor.
- Anda sempre com uns papéis na mão e em passo acelarado! Vás para o bar, ou curar a ressaca na cama, percorre estes corredores em passo acelarado!
E não é que fui o primeiro da incorporação a ter um louvor!
E era só! Vi-te lá no reino! Vim aqui! Vi, pelo elenco dos blogs amigos, que és da mesma camioneta, e aqui estou em passo acelarado!
Até

Ferroadas disse...

Olá amigo

A estes escarros eu chamo-lhes FILHOS DE PUTA. Não prestam, são uns parasitas, uns trastes, uns sabujos, enfim, uns ZEROS.

Abraço

OLIVAR disse...

No seguimento do que escrevi anteriormente, acrescento um bom exemplo, ZECA DIABO, sim esse mesmo, uma filho-de-puto de 1ª apanha, que só respeita o seu subordinado se este for bufo/engraxador (principalmente daquele genero que tem o tique da superioridade moral!!), panásca, ou eventualmente seja Dr, Eng (ou algo assim académico), e tambem os que vêem recomendados por algum outro iluminado!!! Quem quer trabalhar no duro está bem fodido com esse primáta. Poderão encontrar este espécime algures perto do Campo Pequeno em Lisboa, isto sem qualquer analogia tauromáquica, embora um bom par de cornos lhe fiquem muitissimo bem!!!!

Nicolaias disse...

É esse apontar que e gosto no Eça de Queirós: ele disseca essa gente ao ridículo. O mais terrivel é que existem uns que nem sabem que são assim. Mas o mais assustador é que existem os restantes que sabem, que fazem o mal por prazer, que espalham o sofrimento por... ignorância e maldade aprendida.
Eu não acredito na maldade nata: acredito que as pessoas aprendem a fazer mal e decidem fazer o mal por uma qualquer influência educativa familiar, social, cultural, tradicional, etc.
Isso, porém, não é desculpa para ninguém...

Teresa disse...

Ai que bem estiveste tu agora! E só para corroborar o que dizes, deixa-me contar um breve episódio real: a minha irmã, professora do primeiro ciclo, ao chegar à escola, recebe a informação de que um aluno bateu numa professora; ao telefonar à mãe, contando-lhe o sucedido, recebe a seguinte resposta:"Se ele bateu à professora, alguma ela lhe há-de ter feito!"...Palavras para quê?. Continua que estás muito bem:) Beijinho. Obrigada pela visita ao meu embrionário blogue.

Marreta disse...

Excelente post! Muito bem conseguido e totalmente verdadeiro. Por aqui, na minha empresa existem muitos espécimes destes. Uma autêntica praga que tento combater, mas até hoje sem sucesso.
Acho que o eficaz mesmo é o gás Sarin.
Logo, quando chegar a casa vou fazer um post que vai um bocadinho ao encontro deste, embora numa outra prespectiva. Penso que um e outro se complementam.
Saudações do Marreta.

LeniB disse...

Tenho muita dificuldade em lidar com os bronco-brazonados: o ar de falsa eficiência dá-me cabo dos nervos!
Tenho uma colega que passa a vida a correr de um lado para o outro, sempre com um ar "supé" atarefada, carregada de livros, papéis e outras cenas...e nunca tem nada pronto, nem nada feito. Depois, com um ar de indignação, refila porque os alunos não cumprem prazos.
Enfim...gentalha!!
bjs