segunda-feira, 16 de junho de 2008

Homenagem

Homenagem a Manuel de Lima. Homem coerente até ao fim. Aos 75 anos de vida intrafísica decidiu fazer o Terminus desta série existêncial.
Já há uns anos nos dizia que tinha a bala - bem guardada - com a qual se iria matar. Bem dito, bem certo. No dia 6 de Junho de 2008 cumpriu. As dores da coluna eram imensas ao ponto de ficar paralisado a qualquer momento. Não deixou as dores tomar conta dele, tomou ele conta das dores. Foi o mal menor.
Homem com uma sabedoria imensa e várias licenciaturas: Teologia, Letras, Música e afins. Auto-didacta acerca de variados assuntos, etimólogo de excelência. Era um ferveroso anti-religião, principalmente, a católica, pois conhecia-a por dentro e muito bem.
Pagou o preço da sua coerência ao nível financeiro. Não era um vendido. Sua coerência e honra passou para nós, membros do Jantar Tertúlias. Lima, Lima, Lima ... !
Tenho para mim que no dia 7 de Junho de 2008, os membros do Jantar Tertúlias estiveram no processo de ajuda no stress-pós-dessomático com Amparadores Extrafísicos especializados no assunto.
No passado dia 14 de Junho fizemos o Jantar de Homenagem - a missa do sétimo dia à nossa maneira - no mesmo restaurante. Fiz alguns vídeos com o meu telemóvel de meia geração, mas, como estávamos muito bubas resolvi não os pôr aqui. Trago um dos vários ( Novembro de 2007 ) que tenho o qual acho que é o melhor. Foi do último jantar intrafísico em que estivemos todos presentes.

video
The show must go on.

5 comentários:

LeniB disse...

Acto de coragem? Não. Antes uma quantidade enorme de uma inexplicável lucidez...

poesianopopular disse...

Zorze
As pessoas de valor e solidárias, nunca morrem:-porque os amigos não deixam!
abraço

Anónimo disse...

As saudades que já sinto deste velho mentor pessoa coerente e verdadeiramente original espero que agora tenha a paz que em vida nunca alcançou.

`Violento chamam ao rio que corre furioso, mas nimguem chama violentas as margens que o comprimem.´ (Berthold Brest)


um abraço do Bruno

Soontir Fel disse...

Quando esta vida não nos deixa caminho, a morte mostra-nos um atalho... para a próxima.
Que o karma esteja satisfeito e ele se sente entre os iluminados.
Um abraço, Jorge.

caracolinhos disse...

quem era esse senhor? puxa dar um balázio assim é preciso ter muita coragem para fazer,mas enfim qd se está muito mal ás vezes acontece,se bem que não se devia desistir assim da vida cá neste mundo.
beijinhos