quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

Já me lixaram

Agora com esta lei é que me lixaram. Atendendo que é um avanço civilizacional do qual eu concordo, estou afim de abandalhar um pouco. Pois a liberdade também foi outro avanço civilizacional ( apesar de o meu fumo ir contra a liberdade dos outros ) isto é muito complicado ou se calhar muito simples.
Apesar de eu expirar o fumo pelo canto da boca - tipo de esguelha - e com muito cuidado para não prejudicar ninguém ou tipo Brejnev que irei pôr nos próximos dias um vídeo explicativo.
Que o diga a menina Silvia sempre que eu dirigia e abria o vidro do carro para fumar, ou os meninos Tito e Escudeiro companheiros de luta que tiveram que gramar com o meu fumo. From those about the smoke i salute you.
E nesta luta ilusória errada qual D. Quixote, acabo por ficar cada vez mais sozinho. O meu amigo Engineer Bruno já deixou o vício à alguns anos e o outro meu amigo banker-boy Sérgio já desde Março. Realmente será que é uma conspiração contra je.
Voltemos ao vício da nicotina que é o mais poderoso do planeta. Todos os vícios, sejam quais forem abrem as chamadas avenidas do prazer: drogas, alimentícias, adrenalíticas, sexuais, mentais, etc, etc, etc. Mas a nicotina é a única em que quando se experimenta sabe mal, enjoa, faz dores de cabeça, fica-se mal disposto. Ou seja, força-se para obter o vício. Depois quando estiver agarrado é que são elas. Essa é que é essa.
Hoje dia 2 de Janeiro, dia da minha tolerância de ponto, fui até um café ler o jornalito e beber o meu xiripitizito. E adivinhem ? Não podia fumar onde sempre fumei. Como é que pode ser ? Um gajo ali todo encolhido e o caraças !
A minha genética, a minha Raça de Portuga Puro não foi feita para estas mariquices. Como vos tava contando no tal barzito ouvi um comentário muito interessante, díscutivel é certo, mas, eu gosto muito da sabedoria popular - O Sócrates quer é apaneilerizar o povo - e quem fala assim não é gago.
Sabendo que tou errado, tou errado e tal ...
Talvez me vejam amanhã a mastigar umas pastilhas Nicorette ou afins.

1 comentário:

Papiscuds disse...

Amigo Zorze. este comentário é tardio mas ainda vai a tempo. Comecei a fumar com 19 anos e fumei até aos 37/38 anos, sempre fumei um maço por dia. Era o maximo, se fumasse mais era sinal que alguma coisa estava mal. Sempre procurei respeitar os outros no sentido de não levarem com o meu fumo, na maior parte das vezes, porque tambem sentia-me incomodado, normalmente a hora do almoço. Nunca puxava dum cigarro enquanto as outras pessoas estivessem a comer, mas há pessoas que o fazem. Por isso acho bem a proibição de fumar em determinados recintos, o que acho mal é não obrigarem esses estabelecimentos a terem lugares próprios p/ os fumadores. Desde que entrei p/ esta casa sempre fui criticado por fumar mas sempre disse que o sistema de ar condicionado estava mal, que deveria ser de outra maneira. Nunca me deram ouvidos mas hoje se puxarem um pouco pela memória vão dizer "aquela gajo tinha razão", "é verdade o sistema deveria ter sido assim" mas eles não querem dar o braço a torcer.
Pois muito bem, eu já deixei de fumar (não precisei de pastilhas, selos, adesivos ou sei lá o que) confesso que as vezes me apetece mas depois penso e esqueço. Queres fumar? fuma, queres beber? bebe, desde que não incomode o próximo estás a vontade, mas com moderação. ok?
PS:as pastilhas fazem mal, de duas maneiras, gastas um dinheirão e tira-te o Tesão.