domingo, 9 de novembro de 2008

A Vida como uma viagem de comboio

Já tinha lido este texto (daqueles que lemos e apagamos). Voltei-o a receber novamente via email de uma grande amiga. Desta vez não o apaguei, retive-o e agora plasmo-o neste espaço. Para o caro leitor o ler, para outros o relerem. É de uma beleza transcendente e real ao mesmo tempo. Para reflectir e constatar que todos nós nos encaixamos nessa viagem.

"A vida não é mais do que uma viagem de comboio: repleto de embarques e desembarques, salpicado por acidentes, surpresas agradáveis em algumas estações e profundas tristezas noutras.
Ao nascer, subimos para o comboio e encontramo-nos com algumas pessoas que acreditamos que estarão sempre connosco nesta viagem: Os nossos PAIS.
Lamentavelmente, a verdade é outra.
Eles sairão em alguma estação, deixando-nos órfãos do seu carinho, amizade e da sua companhia insubstituível.
Apesar disto, nada impede que entrem outras pessoas que serão muito especiais para nós.
De entre as pessoas que apanham este comboio, também haverá quem o faça como um simples passeio.
Outros, só encontrarão tristeza nessa viagem…
E outros também, que circulando pelo comboio, estarão sempre prontos para ajudar quem precisa.
Muitos, quando descem do comboio, deixam uma permanente saudade…
Outros passam tão despercebidos que nem reparamos que desocuparam o lugar.
Às vezes, é curioso constatar que alguns passageiros, que nos são muito queridos, se instalam noutras carruagens, diferentes da nossa.
Assim, temos de fazer o trajecto separados deles.
Mas, nada nos impede que, durante a viagem, percorramos a nossa carruagem com alguma dificuldade e cheguemos até eles...
Mas, lamentavelmente, já não nos poderemos sentar ao seu lado, pois estará outra pessoa a ocupar o lugar.
Não importa. A viagem faz-se deste modo: cheio de desafios, sonhos, fantasias, esperas e despedidas... mas nunca de retornos.
Então, façamos esta viagem da melhor maneira possível…
Tratemos de nos relacionar bem com todos os passageiros, procurando em cada um, o melhor deles.
Recordemos sempre que em algum ponto do trajecto, eles poderão hesitar ou vacilar e, provavelmente, vamos precisar de os entender…
Como nós também vacilamos muitas vezes, sempre haverá alguém que nos compreenda.
No fim, o grande mistério é que nunca saberemos em que estação vamos sair, nem, muito menos,onde sairão os nossos companheiros, nem sequer, aquele que está sentado ao nosso lado.
Fico a pensar se, quando sair do comboio, sentirei nostalgia...
Acredito que sim.
Separar-me de alguns amigos com quem fiz a viagem, será doloroso.
Deixar que os meus filhos sigam sozinhos, será muito triste.
Mas agarro-me à esperança que, em algum momento, chegarei à estação principal e terei a grande emoção de vê-los chegar com uma bagagem que não tinham quando embarcaram.
O que me fará feliz, será pensar que colaborei para que a sua bagagem crescesse e se tornasse valiosa.
Meu amigo, façamos com que a nossa estadia neste comboio seja tranquila e que tenha valido a pena.
Esforcemo-nos para que, quando chegue o momento de desembarcar, o nosso lugar vazio deixe saudades e umas lindas recordações para todos os que continuam a viagem."



A todos Boa Viagem, aproveitam, pois, a qualquer momento vão desembarcar. Disso tenham a certeza. Concerteza.

12 comentários:

aglaonemaku disse...

hi...iam from indonesia... nice blog and success for U all activities..

Please visit to my blog: www.aglaonemaku.blogspot.com

salam
aglaonemaku

Ana Camarra disse...

Zorze

Visto assim faz sentido.
Por acaso tem graça, para além de gostar de viajar, de uma maneira geral, mas gosto de viajar de comboio em particular e sonho muito com pessoas que me são queridas apesar de já terem saido da viagem, curiosamente já sonhei com eles num comboio, diziam adeus e eu ficava...
A última vez qaue ouvi a vida a ser comparada com uma viagem de comboio não gostei, foi um Padre mum batizado que referia que todos tentavamos fazer essa viagem rumo á felicidade, mas só os católicos lá chegariam, só eles tem bilhetes validos!
Como não católica, não gostei da metafora.

beijos

Zorze disse...

Ana,

Pois, mas isto não tem nada a ver com religiões.

Beijos,
Zorze

Diogo disse...

Cada vez me revolto mais com a ideia de que a viagem irá acabar. Foi uma viagem tão curta. Fará sentido? Meia dúzia de minutos que desaparecem num ápice? O que eu não poderia fazer num milhão de anos. As conversas que eu poderia ter com os meus filhos, os meus pais, os meus amigos, numa eternidade. Porquê o fim?

mugabe disse...

que grande verdade Zorzr.

Abraço!

Marreta disse...

É a única certeza absoluta que temos quando embarcamos: o desembarque. Por isso é como dizes, o melhor é aproveitar ao máximo e disfrutar da viagem bem como dos restantes passageiros.
Quanto ao desembarque não se sabe como será. Pode ser suave, mas pode ser precipitado e violento. Até, inclusivamente podemos ser postos para fora ao pontapé. E não esquecamos também que nos comboios não há cintos de segurança.
Saudações do Marreta.

poesianopopular disse...

Zorze
O grande problema está no durante, é no durante que tudo se desenrrola, para todos e enrrola para alguns, na medida em que uns abdicam ,e outros não, na certeza de quando a viagem chegar ao seu terminus, todos vão ter de abdicar, uns de barriga cheia, outros com ela vazia.É preciso mudar o durante.
Abraço

Pata Negra disse...

Que bom seria que eu pudesse ter continuado a minha vida de comboio. Acontece que poderes obscuros começaram a encerrar as ferrovias e a construir poderosas estradas e autoestradas. Agora vivo a vida dentro dum automóvel que com muitos outros se cruza, ultrapassa uns e é ultrapassado por outros, viajo só com os meus mais próximos, prego a fundo, apito, faço sinais de luzes, gozo o ar condicionado, temo a brigada, paro e consumo na estação de serviço, sou o condutor, eu é que mando, sou rico. Puta de vida! E eu que gostava tanto de poder levar a minha vida de comboio!
Um abraço e um aceno ao Zorze que vai no comboio que vai cheio de moças para a Covilhã

mugabe disse...

Porra meu...abandonaste o pessoal ??/

Artista sonhadora disse...

Também já vi um texto como este senão era igual era muito parecido,mas é verdadeiro sim,a vida é como uma viagem de comboio,em que uns saiem e outros entram nas estações existentes,mas nada acontece por acaso e por isso as pessoas não entram na nossa vida por acaso há sempre um motivo,e há pessoas que passam pela nossa vida por pouco tempo,há aquelas que passam mais tempo e vão embora mas que deixam sempre marca no nosso coração,e há as que continuam sempre na nossa vida até ao fim dos dias e também ficam sempre no coração.É até acabar a viagem de comboio.No entanto através dessas coisas extrafisicas,mesmo quando acaba a viagem de comboio e se parte,o nosso espirito regressa noutra carruagem ,e nós encontramo-nos lá todos ai talvez mais numa viagem de avião ,pois vamo-nos encontrar no céu,quando acabar a viagem,e o caminho,a estrada ,que percorremos.
beijinhos

Anónimo disse...

Muito obrigado por postar isso , É só o que eu estava pesquisando para a bing . I? Muito da comparativamente ouvir opiniões de uma pessoa , um pouco do que uma página da Internet da organização, que ? Por isso que eu gosto de blogs de forma tão significativa . Muito obrigado !

Anónimo disse...

Parece bom, eu gosto de ler o seu blog, apenas adicionei aos meus favoritos;)