quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Sandokan

Sandokan - O Tigre da Malásia.
De Príncipe a Pirata. O herói, o libertário, o tenaz e o corajoso. Fruto da imaginação do escritor italiano Emilio Salgari. Uma co-produção da RAI.
º
Quando era pequenito adora ver as aventuras de Sandokan, ainda tenho alguns livros guardados nalgum caixote arrumado na arrecadação.
Sem os efeitos especiais de hoje a sua luta é representativa das lutas que teremos de travar. Hoje os colonizadores são outros. Mas os métodos são quase os mesmos. Dão-vos uma aparente ideia de liberdade e de capacidade de decisão. É vos permitido ter telemóveis, ter televisões, ter automóveis, ter nove noites e dez dias em Punta Cana e verem filmes pornográficos.
O que vocês não sabem é que são outra geração de escravos robotizados, bem monitorizados e controlados. São apenas números e pior descartáveis.
º
Por isso, e para que, o imaginário se torne real, que libertemos o Sandokan que temos dentro de nós.




6 comentários:

Ana Camarra disse...

Zorze

Que maravilha!
Adorava o Sandokan!
Tenhos os Livros do Emilio Salgari, não sei porque misturas os filmes pornográficos, que o Sandokan e a Marianne quanto muito davam um beijo timido, nem sei porque falas de Punta Cana, que não estando no meu top era um sitio onde gostaria de ir.
Mas obrigado pelo Sandokan, esta noite devo sonhar com Tigre da Malásia....

Beijos

Pata Negra disse...

O Sandokan?! Mal me lembro mas nunca fui fã! Reconheço que tem um lugar no imaginário de muitos mas, secalhar eu na altura já andava a trabalhar?
Um abraço ficcionado

marreta disse...

Ah ganda Kabir Bedi! Destes Sandokans libertários é que a humanidade precisa! Então e a Mariana, não falaste dela...

Saudações do Marreta.

mugabe disse...

Curiosa esta tua analogia,...que somos números dos maiorais não tenho dúvidas !!! mas ...o Sandokan ???? pois o meu filho gostava muito !!!

Abraço!

Diogo disse...

É verdade caríssimo. Já chega de manifestações, de petições e de vigílias. Contra criminosos de elevado calibre só os milhões de Sandokans que constituem a nossa revolta.

poesianopopular disse...

Zorze
Acredita que já tenho pensado no jeito que dadía ter agora um milhão de Sandokans!
O primeiro livro que me pfereceram era precisamenta, " as aventuras de Sandokan.
Abraço