terça-feira, 15 de abril de 2008

Anilha

Hoje saí um pouquito mais cedo do trabalho. Pensei - Vou aproveitar para cortar o cabelo que já está grande!
Acabei por ir cortar a gadelha no cabeleireiro de sempre, já que, ía jantareles a casa dos Pápás - Ió su tu Pápá.
Después fui beber um xiripiti para fazer tempo e leio no jornal que a entrega do IRS na Internet acabava hoje à meia-noite. Nem me lembrava! Quando cheguei a casa fui procurar a minha senha. Tarefa árdua pois na minha secretária não se consegue ver o tampo da mesa, tanto, é envelope por abrir e papelada espalhada. Por milagre encontrei. Quando entrei no site, recebo a notícia que a senha está expirada. Sigo os procedimentos e volto a entrar. Grande parte já está preenchida. São uns amigalhaços este pessoal das finanças. E assim consigo validar a abertura da minha anilha ao Estado. Lambuzem-se seus pantomineiros. No verão lembrem-se de mim na devolução.
Comprem os vossos Jaguares, paguem os vossos prazeres e excitações, deliciem-se com vossos jantares luxuriantes, que, eu cá estarei para vos cobrar.
Nos países latinos o pagamento de impostos faz-nos sentir parvos e otários, se vivesse na Noruega, Suécia, Finlândia ou Dinamarca pagaria, com certeza, com prazer e orgulho. Esta sensação vem talvez, por sentirmos, que o nosso dinheiro não é bem gerido. Isto sou a dizer na minha inocência.
No final e antes da hora do fecho sente-se uma sensação de alivio (tipo cagada) pelo cumprimento da obrigação.
Foi rés-vés Campo de Ourique.

4 comentários:

Miss Piggy disse...

Meu querido onde anda essa cabecinha...
Entendo a tua revolta e da maioria dos contribuintes quando têm que pagar os seus impostos, não nos podemos esquecer que eles servem para financiar as despesas que o Estado tem com a manutenção do país (também financiam as férias… não é férias, é visitas de Estados que os nossos ministros fazem para manter boas relações com os outros países) …
Não me vou expor aqui a minha ideia não sou a favor mas também não acho que seja assim um roubo tão grande, é de se considerar as pessoas que nunca declaram a totalidade dos seus rendimentos e ai os “grandes” safam-se e o pequeno contribuinte é que se lixa, porque não tem por onde escapar… é a história de sempre quando o mar bate na rocha quem se lixa é o mexilhão…
Estou a espera do nosso café… a agenda do menino está muito preenchida….lolol

Beijinhosss Doces

Diogo disse...

Saber que os impostos que pago vão para a construção de TGVs, de aeroportos, de auto-estradas, de pontes dá-se um a sensação de tranquilidade e de beatitude. Tal como aconteceu no caso do investimento dos 10 Estádios do Euro 2004.

casadegentedoida disse...

Caro Amigo Zorze, Cara Amiga Miss Piggy, Caro Amigo Diogo, vocês acham que os nossos impostos são realmente para pagar esses investimentos todos? vocês realmente ainda pensam que os nossos impostos servem para criar prosperidade no nosso País? Vou usar aqui os exemplos do Diogo; o TGV, do total do investimento 2/3 são para jantares, almoços, automóveis, quintas, montes no Alentejo, vivendas no Algarve, férias no Brasil, viagens a volta do Mundo (não nos esqueçamos da noite); aeroportos (se fosse construido na OTA) 2/3 são para jantares, almoços, automóveis, quintas, montes no Alentejo, vivendas no Allgarve, férias no Brasil ou nas Caraíbas, viagens a volta do mundo, (não nos esqueçamos da noite); auto-estradas e pontes (com ou sem portagens tanto faz), 2/3 são para jantares, almoços, automóveis, quintas, montes no Alentejo, vivendas no Allgarve, férias no Brasil ou nas Caraíbas, viagens a volta do mundo, (não nos esqueçamos da noite). E por aí fora um sem numero de maneiras de gastar o dinheiro dos contribuintes. Como acham que foram feitas algumas das grandes fortunas que existem em Portugal? Com o trabalho deles? Como aquele gajo que ficou rico com 12 milhões de euros, assim até eu ficava, foi com o trabalho dele? (não nos esqueçamos da noite) E os estádios de futebol? Muita gente ganhou dinheiro com isso, mas muita gente mesmo, e para que? para ficarem as moscas (não nos esqueçamos da noite). Mas enfim, pobres de nós trabalhadores por conta doutrem, que descontamos e não podemos fugir. Já agora só mais um exemplo, o rendimento mínimo, que deveria ser para ajudar os mais necessitados e em muitos casos é distribuido a quem foge das suas obrigações fiscais (construtores civis, trolhas, pedreiros, picheleiros, etc...), ciganos (que até tem carros melhores que o meu, e sem carta ou seguro), a certas gajas que deixaram de trabalhar e vivem do putedo (essas ainda é mais flagrante) e os maridos vivem do fundo de desemprego (um até tem um BMW novinho, ela anda de Jeep), isso sim é que. Estas situações é que deveriam ser faladas e mostradas para ver se acabava a pouca vergonha, mas como o exemplo deve vir de cima e de cima ainda vem pior, o melhor é ficarmos por aqui, vamos vendo uns jogos para darmos uso aos estádios, vamos passando nas pontes (sempre há um freeport do outro lado), vamos fazendo umas corridas nas autoestradas (sempre temos a sensação de um F1) e quando formos de férias vamos para as praias da Costa da Caparica (sempre é mais acessível). Bons sonhos a Todos.

nuno assuncao disse...

é urso se dedicases + tempo na arrumaçao da tua secretaria talvez encontrases a tal senha
ddddaaaahhhhh