segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

O que será , será...


O que será , será... Seja por onde for.
De tremores,
E para quem perdeu o medo da morte?
Para quem já não seja tanatofóbico?
Para quem se esteja a cagar?
Mesmo com os unguentos que a normalidade propicia.
Mesmo que numa canzanada, ponha o dedo do polegar no buraquinho do cú e cheire que grande mulher.
Mesmo que de perna alçada... Que grande mulher!
Fica sempre a questão. Em que Universo vivemos?
Em que Universo vivemos? À flor da pele?
E qual dele presenciamos?
Se presenciamos, o que sentimos. Estaremos nele. Fazemos parte dele.
O choque, carne com carne, pode sintonizar-nos de que algo é real.
Apesar de uivos desconcertantes. Gritantes, mais, esquadrilhantes.
O que será, será!
Num leito, por aí perdido...
O que será em labirintos perniciosos da mente individual de cada um?

2 comentários:

Red Eagle disse...

Muito bem meu caro amigo...

Ana Camarra disse...

Não sei....
Mas estás com uma selecção musical em video clips que me gusta mucho, o resto não sei!

beijo