segunda-feira, 31 de março de 2008

Projecção Extrafísica: Quem ele é ?

Já à algum tempo que não tinha uma Projecção da Consciência. Na madrugada de hoje voltei a ter mais uma com bons níveis de lucidez. Quando já tinha a obrigação de ter algum controle do processo quando tenho tantas ferramentas teóricas/mentalsomáticas. Mas - a desculpa de sempre - a preguiça, o stress do dia-a-dia que nos distrai para a nossa verdadeira essência, enfim.
º
Foi uma noite mal dormida, talvez, derivado ao jet-lag do fim-de-semana. Adormecia um pouquito e acordava, repetitivamente, até que por volta das 4H30 sinto no meu corpo físico uma energia forte e rápida que percorre o meu corpo (energia vibracional que nos faz entrar noutras frequências dimensionais e proporciona a Projecção) patrocinada por uma consciência extrafísica.
O meu psicossoma (espírito) sai com alguma facilidade e logo tento sair do meu quarto através da janela. O cortinado e estore (condicionalismos físicos que levamos sub-conscientemente para este estado) foram desta vez relativamente fáceis de ultrapassar, já me vou habituando. Salto para a minha praceta e fico a pairar aí a uns 2 metros do chão e antes de ir para o Parque da Cidade procuro onde o meu carro está estacionado - truque que uso para ajudar a aumentar o percentual de lucidez. E então lanço-me sobre o Parque, desde que moro nesta casa, sempre que tenho a oportunidade de sair com lucidez vou sempre pelo Parque, por puro prazer. Na zona da entrada atingo uma altitude de 7/8 metros e depois faço um vôo rasante pela relva e observo o laguinho com os patos e cisnes, alguns acordam, sentem qualquer coisa, chego às vezes a sentir o vento na tromba, para-tromba. Vou ter sempre à avenida principal da minha cidade olho as luzes das montras, vejo um ou outro carro a passar. Depois pensei em entrar num apartamento ao acaso para espiolhar (é o nosso macaco-louco que está dentro de nós), e logo, que tenho este pensamento vou parar a uma casa junto ao mar, pareceu-me ali para os lados de Setúbal, Serra da Arrábida, mas estava muito escuro.
º
A lucidez aqui era mais baixa, entrei na casa, tinha as luzes acesas e senti que estava ali para limpar as energias (talvez algum mini-briefing que me tinham dado), o ambiente estava tenso e senti presença de pessoas físicas mas não cheguei a vê-las. E nisto, para mim passados alguns segundos, volto para meu quarto. Provávelmente falhei o que tinha de fazer, ou, se calhar os Amparadores aproveitarem a minha energia mais densa para resolver a situação.
º
Estou no meu quarto a pairar já com uma lucidez muito maior e entro de repente numa espécie de tubo a uma velocidade estonteante. Observo as luzes das paredes do dito tubo, variados tons de azul ( tipo néons) a uma velocidade incrível, e reparo que no fim do tubo - quando começo a abrandar - tem uma base metálica com formas geométricas perfeitamente encaixadas. Quando chego à base fico pairando uns segundos e então parece que se liga um mecanismo e aquilo começa a rodar a uma velocidade brutal e eu também. Estando mesmo no centro e a minha cintura parecendo o eixo de rotação. Deixei-me ir nesse movimento rotativo, sentia que fazia bem. Parecia uma máquina de lavar a roupa mas na horizontal.
Quando pára o movimento centrífugo reparo que estavam lá duas crianças à volta dos 11/12 anos, gémeos, iguaizinhos e nisto abre-se uma porta. Saio e estou num laboratório vejo um fulano com bata branca a andar para aqui e para lá. Noto que ele não sente a minha presença.
º
Volto para meu quarto e todos os meus veículos conscienciais coincidem, abro os olhos (aqui já acordado mas ainda num estado letárgico) e começo a ver do lado direito em cima em relação à minha posição deitado na cama (às minhas 2H/3H mas em cima) rostos mas a preto e branco, senti que alguns me vieram ver/conhecer e o último foi, penso eu, uma amparadora minha (já tinha sentido essa presença energética). Nesse rosto - já estava no plano físico e não projectivo - vi o sorriso fratenalista, vi o piscar os olhos de uma forma nítida. Comecei-me a mexer aos poucos e levantei-me de novo. Eram para aí 5 e qualquer coisa. Em termos físicos decorreram 30/40 minutos, mas, extrafísicamente muito mais tempo. A lucidez teve altos e baixos mas média foi bastante elevada.
º
O significado, se é , que tem de haver algum significado, fica só para mim. Claro que não contei tudo...

3 comentários:

poesianopopular disse...

Claro meu amigo!
O segredo é a almado negócio!
A propósito já conhece "o segredo se não diga que eu mando-lhe por mail OK
Um abraço
José Manangão

Zorze disse...

Meu caro José Manangão, refere-se ao livro? Pois esse já conheço.
Se não agradeço-lhe o mail.

Um grande abraço,
Zorze

casadegentedoida disse...

Caro Amigo Zorze, fiquei espantando, surpreendido com o teu relato. Temos de falar pessoalmente sobre esse dia 31 e essa hora, acho que não foste parar a Serra da Arrábida mas sim em Alfena. Depois esclarecemos isso.
Até dia 4.
Abraços do casadegentedoida.

PS. O Arq. foi posto de parte devido aquele caso que a gente sabe. UI