quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Carlos Paião

Um dos meus músicos preferidos. Médico de formação, músico de eleição.
Que pena eu tenho de ele ter morrido antes do tempo. Que pena!
O vídeo em seguida é o seu Playback. Música muito recorrente nos dias de hoje. Existe por aí muito Playback.



Em seguida, Cinderela.



Agora, a minha preferida, Pó de Arroz. A sua morte trouxe várias perguntas, uma delas, seria:
- As músicas que teria inventado se fosse vivo.

Mas um acidente, não deixou. A vida é mesmo assim.
Misteriosos, são os caminhos... de quem quizer.

7 comentários:

mugabe disse...

Zorze, simpatizava com a pessoa, mas não gostava do músico ! Abraço!

Ana Camarra disse...

zorze

Que te posso dizer, em definitivo não temos os mesmos gostos musicais!
Mas sim, Carlos Paião merece o meu respeito enquanto compositor/cantor, nunca compraria nenhum disco, até sei cantar algumas e por brincadeiras em grupos de amigos lá sai a Cinderela e o Pó de Arroz.
A morte de uma pessoa jovem é sempre de lamentar.
è una musica, simples, tanto de letra como de música, entra no ouvido e é agradavél, mas não me emociona.
Mas é bonito fazeres este tributo.

beijos

Diogo disse...

Um miúdo que morreu na primavera da vida.

poesianopopular disse...

Zorze
Tive imensa pena porque era um jovem que tinha imenso para dar á musica portuguresa, admirava nele a facilidade e simplicidade com que arranjava uma canção, ainda assim deixou-nos um vasto reportório, tal como o meu colega António Variações.
abraço

olivar disse...

Gostei e continuo a gostar, fico feliz por eu ter sido seu comtemporâneo.
Era um gajo fixe!

Soontir Fel disse...

onde quer que esteja está certamente a compor coisas novas, Zorze, não tenhas dúvidas. Depende é se é com harpa ou com lava, mas o som será sempre inconfundivelmente Paião.
Ao menos não esteve cá para ver o amigão Herman cair na desgraça...
Um abração, amigo

Teresa disse...

Gosto de todas as canções deste senhor. Sugiro também "Quando as nuvens chorarem". Ouve...é linda! Beijinho