terça-feira, 29 de abril de 2008

Projecção Extrafísica: 3 in a row

Esta projecção ocorreu em Novembro de 2002, salvo erro ( sempre gostei desta expressão).
Foi para mim a projecção mais forte e impactante que tive, por vários factores.
Ainda vivia na casa de meus Pais. Estava já deitado quando aparece uma consciex (consciência extrafísica), talvez Amparador, no meu quarto. Na altura a saída de meu corpo físico ainda era um pouco penosa. Naquela noite foi muito fácil, o Amparador exterioriza uma energia muito forte sobre meu peito e eu salto que nem uma mola. Depois saio pela janela e atiro-me para a Avenida e fico a pairar a uns 2 metros do chão, olho para trás e vejo aquela figura, careca no cimo da cabeça e algum cabelo dos lados e atrás. Ele voa para ao pé de mim ficando nas minhas 4 horas e prende-me algum mecanismo de controlo (característica comum noutras projecções que tive). Aí começamos a voar numa aceleração brusca, tipo arranque de Avião no momento de levantar vôo.
º
1. Vejo os prédios da minha cidade a uma velocidade estonteante, e de repente, já estou a ver que estou noutra cidade. Lembrei-me de Nova Iorque, por causa, da altura dos prédios, mas pode ter sido outra cidade. Como estava a anoitecer e vi muitos carros amarelos, batia certo com a hora de Portugal.
Entro num edíficio, e na entrada estava um porteiro à recepção, lembro-me de uma espécie de pirâmede em cristal em cima do balcão. A qual tento mexer, e num, nanosegundo, materializei o meu dedo e movi o tal objecto, fenómeno poltergeist, que despertou a atenção do porteiro, que olhou para todos os lados, tentando perceber o porquê do movimento do objecto - aqui a minha lucidez era um pouco baixa.
Sigo três homens um deles com uma mala metálica para o elevador. Como o meu veículo de manifestação é o psicossoma eles não me vêem. Apesar da minha lucidez estar com um percentual baixo sinto que a reunião que vão ter não é nada de bom, sinto que dentro daquela mala ia alguma espécie de mecanismo explosivo. Dentro do elevador começo a dar "caldos" na cabeça e pontapés no rabo de um deles ( estava já muito acriançado ). A certa altura o fulano deve ter sentido qualquer coisa, pois, começou a olhar para os lados, algo incomodado. Nisto, puf ... Muito provavelmente o Amparador que me acompanhava viu que eu já não estaria com a lucidez suficiente.
º
2. Apareço noutra cena, numa casa ao pé da praia, estava um pôr-do-sol lindo. Avisto uma família cá fora à volta de uma mesa. O pai retira-se e vejo dois miudos gémeos. Um deles saudável e outro todo raquítico e muito magro. A mãe discriminava o que estava doente e dava todas as atenções ao normal. Aí pensei vou exteriorizar energia ao miudo magrelinho, que até se via os ossos debaixo da pele. Incrível, é que o manuseamento da energia quando estamos na outra dimensão, é brutalmente mais forte. Sentia e via-a a sair das palmas das minhas mãos. Notei por instantes que o rapazinho sorriu - "calorzinho de acolhimento" pensei eu.
Ia percorrendo as dunas em direcção ao mar com o Amparador explicando o que tinha feito. O Amparador diz-me que além de ajudar o miudo doente, mais importante, era a Mãe. Tentar que mude o seu pensamento discriccionário. A Mãe era a chave para o equilíbrio daquela família.
º
3. Nisto, apareço noutro lado, e vejo um aglomerado de pessoas, aproximo-me e vejo que estava um trabalhador da construção civil no chão com objectos metálicos em cima, um deles cravado no seu braço. A vantagem de estar em forma de espírito, deu para furar por entre a multidão com facilidade. Está ao pé dele um médico, que, perante a gravidade do ferimento decide fazer ali a sangue-frio uma primeira intervenção. As dores do trabalhador são horríveis. E começo a energizá-lo para conseguir aguentar as dores, até se via o osso.
Voltando para o meu Amparador, pensei que desta já tinha procedido correctamente, na globalidade da situação concreta. Mas mais uma vez, ele me diz que além do trabalhador ferido, quem iria precisar de mais energia, apesar das dores do trabalhador e das nossas por pena, o médico é que precisava de mais ajuda para não falhar.
º
Acordo não tendo rememoração, pois tinha vivido aqueles momentos, algures por aí. Levando o ensinamento mais importante. Perante uma situação de crise, às vezes, não é aquela pessoa que à primeira vista parece a mais necessitada de ajuda, mas sim, a que probabilistícamente será a facilitadora da resolução. Tem que se ser um pouco frio e lidar bem com as emoções do momento e num grupo-crisis procurar a pessoa chave.
Pena é ter falhado por completo na primeira situação ...

segunda-feira, 28 de abril de 2008

Para lá de Bagdad

Hoje era para escrever sobre uma Projecção Extrafísica que tive à alguns anos. Mas como tou um pouco para lá de Bagdad escrevo outra coisa qualquer.
Deixo-me ir... Que bem que sabe... Uma das maravilhas da vida intrafísica...
Deixo as consciex's acoplarem, que bebam, que fumem, mas não se apoderem de mim. E elas respeitam, como, eu as respeito. É como se fosse uma troca. Sem prejuízo para ninguém. É telepático.
Estando de férias as minhas energias começam-se a soltar. Serão novas projecções que aí virão? Normalmente quando nos desligamos um pouco do mundo físico, acontece.
Tou legal (legau), como diz uma grande conscin que eu conheci.
Lembro as conversas que tive com Pena Vermelha, cabôclo Amazónico, durante várias horas. Como estava certo. No Extrafísico tem-se uma visão de conjunto melhor.

segunda-feira, 21 de abril de 2008

Animal Políticus

A sobrevivência desta espécie, tal como as leis de Darwin, mostram que só o mais apto e o mais forte sobrevivem. Neste caso específico as características dominantes são: a traição, a capacidade de mentir com convicção, a manipulação, o agreement, a conspiração, a luta pelo poder, o simplesmente estar debaixo dos holofotes, a permanente tentativa de diminuir os adversários externos e internos, a balonização de seus próprios egos e outras...
São estas as características de quem governa nos ditos países ocidentais modernos e democráticos. Quem não for letrado nestas áreas não chega a líder de qualquer partido político, pois, para chegar a número um tem que passar por várias escolas, fazer escolhas e os compromissos certos.
Portanto meus caros leitores numa das mais nobres artes - como já ouvi dizer - a sobrevivência e a ascensão desta espécie animal depende em muito em ter na raíz da personalidade as virtudes acima descritas.
Que não haja ilusões. Iremos, ainda por muito tempo ser governados por pessoas em que; o bem estar social, a honestidade, o respeito e a justiça serão questões secundárias a menos que entre no campo de interesse momentâneo do político quer seja para ganhar vantagem quer seja através da repetição mostrar que é mesmo um salvador vindo dos céus.
Normalmente têm hordas de gente que os apoia e quando chegam lá têm que distribuir o milho (tachos, lugares ao sol, etc.) para os alimentar e manter no seu círculo de apoio. Muitos dos que apoiam e elogiam nem gostam da figura mas mantêm o seu apoio para terem a sua fatia do bolo. Como também o líder despreza alguns dos seus seguidores mas precisando o apoio de todos, não têm problema nenhum em lhes atirar o milho de que precisam. A questão dos que o ajudam e financiam a sua ascensão é também muito importante, condicionando sempre a sua governação.
Na política o que hoje é mentira, amanhã é verdade e vice-versa. O amigo de hoje, é o inimigo de amanhã e vice-versa. A capacidade de engolir sapos vivos é outra das características dominantes, tudo sempre com o nobre objectivo de chegar ou manter o poder.
A escola que têm que ter, a manha, a ratice (termo popular que exprime na globalidade este tipo de personalidade) vai ao longo do tempo apurando e refinando a técnica de cada um. Aquele que tiver a capacidade de mostrar que é o mais verdadeiro, mais honesto e mais convicto será um vencedor.
Esta frase de Bob Marley é simplesmente genial - "Há pessoas que amam o poder, e outras que tem o poder de amar". Dá muito que pensar.
A democracia não é perfeita, mas, a natureza humana é que a subverte por completo.
A "teoria dos jogos é um ramo da matemática aplicada que estuda situações estratégicas onde jogadores escolhem diferentes acções na tentativa de melhorar seu retorno" (in wikipédia).

sábado, 19 de abril de 2008

New York, New York

No pequeno filme em baixo vão algumas fotos tiradas por mim e pelo meu irmão intrafísico aquando da nossa viagem a Nova Iorque em Setembro de 2000.
É a cidade que não dorme, com pessoas de todo o mundo.
No dia em que fui à ONU havia 2 manifestações em simultâneo. Uma das Falun Gong e a outra era qualquer coisa àcerca do Irão. Naquela zona é quase todos os dias. As Auto-Caravanas de estações televisivas com enormes parabólicas também.
Cidade quase surreal. Lá voltarei um dia.

terça-feira, 15 de abril de 2008

Anilha

Hoje saí um pouquito mais cedo do trabalho. Pensei - Vou aproveitar para cortar o cabelo que já está grande!
Acabei por ir cortar a gadelha no cabeleireiro de sempre, já que, ía jantareles a casa dos Pápás - Ió su tu Pápá.
Después fui beber um xiripiti para fazer tempo e leio no jornal que a entrega do IRS na Internet acabava hoje à meia-noite. Nem me lembrava! Quando cheguei a casa fui procurar a minha senha. Tarefa árdua pois na minha secretária não se consegue ver o tampo da mesa, tanto, é envelope por abrir e papelada espalhada. Por milagre encontrei. Quando entrei no site, recebo a notícia que a senha está expirada. Sigo os procedimentos e volto a entrar. Grande parte já está preenchida. São uns amigalhaços este pessoal das finanças. E assim consigo validar a abertura da minha anilha ao Estado. Lambuzem-se seus pantomineiros. No verão lembrem-se de mim na devolução.
Comprem os vossos Jaguares, paguem os vossos prazeres e excitações, deliciem-se com vossos jantares luxuriantes, que, eu cá estarei para vos cobrar.
Nos países latinos o pagamento de impostos faz-nos sentir parvos e otários, se vivesse na Noruega, Suécia, Finlândia ou Dinamarca pagaria, com certeza, com prazer e orgulho. Esta sensação vem talvez, por sentirmos, que o nosso dinheiro não é bem gerido. Isto sou a dizer na minha inocência.
No final e antes da hora do fecho sente-se uma sensação de alivio (tipo cagada) pelo cumprimento da obrigação.
Foi rés-vés Campo de Ourique.

segunda-feira, 14 de abril de 2008

Porque é que não nascemos logo no Paraíso ?

Descendemos da macacada mais agressiva, violenta, bélica e má. Extinguimos outras variantes com níveis de desenvolvimento bastante bons. Como carnívoros, ajudou-nos a desenvolver o nosso cérebro mais rápido que os outros, e com, a nossa natureza assassina e pouco tolerante à diferença chacinamos os outros. Agora passado todo este tempo cá estamos com menos pêlos e mais vestuário iludidos que sabemos tudo.
O medo de cair, por exemplo, vem do tempo em que saltava-mos de galho em galho ( Carl Sagan, in Dragões de Éden). Hoje a selva é outra, mas, a informação genética foi passando.
Em baixo o vídeo de Valete (rapper português de grande qualidade) - Revelação - com uma abordagem do tipo católica. Deus e o Diabo.
À parte da religião, politiquice ou status de cada um o vídeo - com música excelente - tem notóriamente cunhas mentais de outras dimensões não físicas, o talento imenso, de Valete não é só deste mundo insano. A força e a raiva contida na letra é supreendente.
O inferno é o Planeta Terra, que, por acaso, é aquele em que nós habitamos por determinado período de nossas Séries Existenciais.
Uma observação do meu colega e amigo Olivar puxou-me para um pensamento - a Pessoa Humana. O Papa e seus seguidores referem com ênfase subliminar e não por acaso à Pessoa Humana. Sabemos que neste Inferno nem todos são Humanos a começar por dentro dessa Instituição e abrangendo toda a sociedade dita Humana.
Meus amigos, não é pessimismo, a natureza humana é tendencialmente má de raíz. Nesta grande Escola-Hospital que é o nosso Planeta, ensinar e tratar é difícil, mesmo muito difícil.
Ajudar - e não esmola (que é apenas a satisfação do ego de quem dá e a perpetuação de quem recebe) - Ajudar (ensinar a pescar e não dar o peixe) o outro sem interesse no estado evolutivo em que nos encontramos é pieguice ou parvoíce. Ouve-se todos os dias alguém a dizer - Eu ajudar! Se ninguém me ajuda? Por que hei-de ajudar os outros?
Temos de vez em quando vislumbres de bondade e ajuda no nosso mapa-mundi como pingos de Amor. Existem por aí espalhados no nosso Planeta algumas consciências que vão remando contra a maré desumana.
As nossas dúvidas existenciais:
- Coca-Cola ou Pepsi ?
- O Bem ou o Mal ?
- O Ser ou Não Ser ?
Temos que ter a ilusão de que escolhemos algo...

sábado, 5 de abril de 2008

Porra, que tava díficil !

Nestes últimos dias o meu computas andava esquisito. Faz lembrar um vídeo dos Gato Fedorento - a gaja é eshhhquhhiita !
Lembrei-me da Lei de Murphy e veio-me à memória a Lei O'Rourke - Nunca lute contra um objecto inanimado.
Já estava a pensar, na segunda-feira, vou um pouquinho mais cedo e levo a Torre naquela lojinha de informática porreira para me limparam o CPU.
Mas hoje enchi-me de coragem e de instalação em instalação e com o CD milagroso do Windows XP e o anti-vírus Panda consegui dar a volta. Limpei as viroses e agora o meu computas parece um Ferrari - like the wind. Desculpem-me o desabafo. Foda-se que estava díficil!!!
Mas consegui. Meu jeito meio-sacana, meio-malandro, meio maluco-beleza chegou para resolver o assunto.
Vaí um vídeo que exprime a minha sensação quando consegui dar a volta à situação.
video
Sou o maior.
P.S.: Para os meus amigos estrangeiros e relativamente ao post anterior, 1 de Abril, em Portugal é dia das mentiras.

terça-feira, 1 de abril de 2008

1 de Abril

Hoje e por ser verdade publico notícias e novas proposições com data de validade.

- George Bush pergunta-se porquê? E para quê? Chega à conclusão que afinal não tem sentido. Então demite-se e faz um discurso contido e emocionado em que pede perdão à população por ter chegado à conclusão de estar errado e manipulado por forças que não consegue controlar.

- Um Palestino torna-se Primeiro-Ministro em Israel. Agentes da Mossad e membros do Hamas festejam em conjunto e depois entram em depressão traumática por aperceberem-se que suas vidas foram em vão numa luta que tendia para o infinito.
- Após várias gerações e quando os Seres Humanos atingem o patamar que se pensava ser impossível, o serem considerados Seres Racionais, descobrem finalmente que o automóvel apenas é um veículo de transporte que os leva de um lado para outro. Deixa de haver aniquilações de Séries Existenciais de modo parvo.
- As religiões deixam de fazer sentido. Pois o produto que vendem "a entrada no Paraíso" a troco de obediência cega através de regras propostas por eles próprios deixa de ter razão de ser. Porque com a vinda de cada nova geração com a passagem de nova informação genética de; paz, ética, respeito pela liberdade do outro... vive-se uma espécie de semi-paraíso no Planeta Terra.
- Os grandes complexos industriais de armamento são reconvertidos e reajustados com o finaciamento dos bancos para centros de desenvolvimento e pesquisa de novos medicamentos para aumentar a qualidade de vida das Pessoas (termo que estava a entrar no esquecimento).
- É feita uma descoberta incrível, afinal, e ao contrário do que se pensava, as Pessoas são o mais importante das Organizações.
- A corrupção passa a ser um conceito estudado nos livros de História como algo a não ser repetido.
- As Pessoas mais velhas passam a integrar conselhos consultivos em que orientam; Empresas e Instituições de vária ordem... Com sua experiência de vida, a qual, vivenciaram e quase assistiram à destruição da Humanidade por causa de; lucros sem escrúpulos, guerras, políticas que servem interesses de uns e esquecem muitos... resumindo, merdas e afins.
- A clonagem de orgãos passa a ser um dos investimentos prioritários dos Estados.
- Deixa de haver a demarcação agressiva (perímetros urinários) de fronteiras entre Países, como prova, da passagem da irracionalidade para a racionalidade da espécie Humana.